Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Infectologia

Obstetrícia

Hepatologia

Com relação à hepatite B em gestantes é CORRETO afirmar que:

A
A gestação favorece o aparecimento da infecção e agrava o curso da doença.
B
O diagnóstico diferencial deve ser feito com icterícia colestática, colelitíase, síndrome HELLP, fígado gorduroso agudo da gestação e farmacotoxicidade.
C
Os neonatos infectados pelo vírus têm 30% de chance de se tornarem portadores crônicos.
D
Se o rastreamento no pré-natal com o HBsAg for positivo, os recém nascidos devem receber apenas a imunoglobulina imediatamente após o nascimento.
Considere as seguintes situações de dissecção aguda da aorta tipo B: 1. Desobstrução de ramos viscerais, com ou sem uso de stents. 2. Fenestração endovascular na presença de isquemia grave de membro inferior. 3. Implante de stent na luz verdadeira, em dissecções não complicadas. 4. Implante de endoprótese recoberta, em paciente clinicamente instável, sem envolvimento abdominal. A terapia endovascular NÃO está justificada em consensos no(s) caso(s):
Nos quadros de colangite, não podemos considerar como sinal clássico da Pêntade de Reynolds:
Qual é o transtorno de motilidade esofágica mais comumente encontrado em nosso meio?
Na investigação de um paciente com disfagia de longa data foi realizado raio X de esôfago que mostrou megaesôfago grupo IV (pela classificação de Rezende). Nesse caso, a cirurgia que oferece piores resultados com recidiva precoce dos sintomas é:
Compartilhar