Questões na prática

Clínica Médica

Infectologia

Dermatologia

Com relação à transmissão da hanseníase, assinale a FALSA.

A
O homem é o único reservatório conhecido
B
São fontes de infecção somente os doentes que apresentam bacterioscopia positiva
C
O doente de hanseníase deixa de ser fonte de infecção após dois meses de tratamento com medicamentos bactericidas
D
Em geral, considera-se que as vias respiratórias superiores sejam a principal porta de entrada
E
É possível a penetração do bacilo pela pele com solução de continuidade
Lactente, dois anos de idade, negro, sexo masculino, natural de Salvador - BA. É internado com quadro de febre há 20 dias, dor em MMSS, com presença de hiperemia em 3° e 5° quirodáctilo D. Antecedentes de três internações no último mês, pelos mesmos sintomas. Portador de falcemia (SS), diagnosticada no teste de triagem neonatal. O Rx mostra lesão osteolítica no 3° e 5° quirodáctilo, com fratura patológica ao nível do 3º, a radiografia de tórax é normal:
Qual a hipótese diagnóstica mais provável e alterações morfológicas esperadas no hemograma de um adolescente de 14 anos que se queixa de cansaço, piora do rendimento escolar e se encontra com palidez cutâneo-mucosa?
Paciente, 35 anos de idade, negra, nuligesta, obesa, diabética e tabagista, vem ao consultório médico para avaliação de rotina. Nega fluxo patológico genital. Refere fluxo menstrual de 28 a 30 dias/3 a 5d/++. Ao exame físico, TA: 120 X 70 mmHg, PR: rítmico e cheio, com 65 bpm. Abdome plano flácido e não doloroso à palpação. Trouxe preventivo normal. USG: útero aumentado de volume à custa de 2 nódulos miomatosos, um subseroso e outro intramural, medindo o maior 2,0 cm x 1,8 cm. Volume uterino de 126 cm³. Ovários de volume e ecotextura habituais. Deseja engravidar futuramente. A melhor abordagem dos miomas no caso em questão é:
Mulher, 30 anos de idade, G3P2A0, com 40 semanas de gestação, progrediu no trabalho de parto de 6 cm para 7 cm de dilatação cervical em 2 horas. Ao toque: ODP em plano 0 de DeLee, que persiste desde o início do trabalho de parto. O tipo de pelve que predispõe à posição occipital posterior persistente é a:
Compartilhar