Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Considera-se tratamento INADEQUADO para a sífilis materna e o risco de sífilis congênita:

A
Uso de doxiciclina por 30 dias.
B
Tratar com penicilina benzatina (2400.000 UI - dose única) os casos de sífilis latente.
C
Instituir tratamento dentro de 30 dias anteriores ao parto.
D
Tratar o parceiro somente se houver comprovação de VDRL reagente.
E
Todas as alternativas estão corretas.
Considerando-se a temática do desenvolvimento psicomotor nos 2 primeiros anos de vida, assinale a alternativa CORRETA.
Luizinho é uma criança normal, foi à consulta de puericultura, sendo observadas as seguintes habilidades: a) anda com apoio; b) emite uma a duas palavras com significado; c) bate palmas; d) acena “tchau”; e) aproxima-se, quando é chamado. Considerando que Luizinho é uma criança normal, qual a sua idade?
Assinale a alternativa que complementa CORRETAMENTE a conduta explicitada a seguir. José, 43 anos de idade, serralheiro, vem ao Centro de Saúde relatando cefaléia holocraniana há três dias, pior na nuca, em pressão, sem febre, sem tontura, náusea, vômito ou escotomas, de início insidioso. Refere alimentação normal, urina e fezes normais, sem patologias pregressas dignas de nota. Tomou um comprimido de dipirona e depois de AAS 500 mg sem melhora ontem, e hoje de novo. Solicita exame de tomografia da cabeça. Ao exame físico, refere dor à palpação do trapézio em nuca e região supra e interescapular, que estão contraídas, pressão arterial normal, sem sinais meníngeos nem outras alterações ao exame físico. Quanto à melhor conduta em relação às demandas do paciente, considerando o diagnóstico mais provável, além de prover tratamento farmacológico, o médico deve:
Mulher de 55 anos de idade, tabagista, sem outras comorbidades, foi submetida à exame de ultrassonografia de rotina a pedido de seu ginecologista. O resultado do exame mostrou que a parte ginecológica estava normal, porém, foi encontrada dilatação aneurismática fusiforme da aorta abdominal de 6,2 cm abaixo das artérias renais e acima das artérias ilíacas. A paciente, que nega qualquer sintomatologia abdominal recente, foi encaminhada para avaliação com cirurgião vascular. Qual a conduta correta diante desse achado?
Compartilhar