Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Considerando o quadro clínico de uma paciente de 28 anos de idade que possui nódulo tireoidiano de 1,5 cm com diagnóstico de carcinoma bem diferenciado, assinale a opção correta.

A
Se essa paciente tiver história de exposição à radiação, o principal diagnóstico será de câncer anaplásico de tireoide.
B
Devido à idade dessa paciente, o carcinoma folicular é o mais provável diagnóstico.
C
Na ausência de linfonodos cervicais palpáveis, essa paciente poderá ser submetida à nodulectomia tireoidiana.
D
Caso essa paciente seja portadora de carcinoma papilar, ela terá melhor prognóstico em relação aos outros tipos bem diferenciados.
E
A cintilografia de tireoide poderá esclarecer qual tipo de carcinoma que essa paciente possui.
A conduta no carcinoma in situ do colo uterino é:
Paciente feminina, 42 anos, com história familiar de dislipidemia, vem à consulta com os seguintes exames: colesterol total = 320 mg/dL; HDL = 32 mg/dL; triglicerídios = 655 mg/dL. Qual a conduta mais adequada?
Pré-escolar de dois anos apresenta mancha branca no olho direito. Há seis meses, a mãe percebeu que a criança apresentava desvio do olho direito quando fixava olhar, tendo procurado oftalmologista que prescreveu o uso de óculos para estrabismo. Há um mês, ao bater a luz, notou reflexo esbranquiçado na pupila. Em reavaliação por oftalmologista, o exame de fundo de olho evidenciou massa em cavidade vítrea de olho direito. Nos antecedentes pessoais, parto normal a termo, sem intercorrências no período neonatal e desenvolvimento neuropsicomotor normal. A hipótese diagnóstica mais provável é:
Puérpera submetida a cesariana há 7 dias vem apresentando picos febris diários. No 2° dia pós-operatório, iniciou tratamento para endometrite com gentamicina e clindamicina. No 4° dia, foi adicionada ampicilina. Há 48 horas, o esquema antibiótico foi substituído por cefoxitina associada a metronidazol. O estado geral é bom e os lóquios não estão mais fétidos desde o segundo dia do primeiro esquema antibiótico. A paciente vem amamentando sem dor. A ferida operatória não está alterada, e a ultrassonografia abdominal é normal. Qual a próxima conduta?
Compartilhar