Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Considere o caso de uma mulher de 30 anos que apresenta diarreia sanguinolenta e cólicas abdominais durante as últimas 3 semanas. Ela se sente doente, perdeu peso, apresenta febre (38,3 °C) e abdome ligeiramente distendido e difusamente doloroso. Doença intestinal inflamatória é o quadro mais provável, e a colite ulcerativa e a doença de Crohn, nessa ordem, são as causas mais consideradas. Sabendo-se que existe uma sobreposição considerável das características clínicas de ambas as doenças, assinale a alternativa que apresenta uma conclusão INCORRETA.

A
A paciente apresenta tenesmo retal severo. Isso fala a favor da colite ulcerativa.
B
Esse episódio foi precedido por vários anos de dor recorrente no quadrante abdominal inferior direito e febres; uma vez, ela achou que estivesse com obstrução. Isso fala a favor de colite ulcerativa.
C
A proctossigmoidoscopia revela uma inflamação intensa do reto e do sigmoide; a biópsia não revela granulomas. Isso fala a favor de colite ulcerativa.
D
Ela apresentou dores articulares e inflamação ocular várias vezes no último ano. Isso não ajuda na diferenciação de colite ulcerativa nem de doença de Crohn.
E
Subitamente, ela apresentou distensão abdominal, os movimentos intestinais cessaram e ela parece estar criticamente doente. Isso fala a favor de colite ulcerativa.
Gestante de 35 semanas de idade gestacional, hipertensa, em uso de metidopa 250mg de 8 em 8 horas e propanolol 40mg ao dia. Realiza ultrassonografia, que apresenta os seguintes resultados: feto único, em situação longitudinal, apresentação cefálica. Batimentos cardiofetais com frequência de 150 bpm. Líquido amniótico: ILA = 10 cm. Placenta tópica, grau II (granum). Dopplerfluxometria apresentando diástole zero da artéria umbilical, idade gestacional ultrassonográfica de 35 semanas. Os dados clínicos deste caso permitem afirmar qual diagnóstico?
Sobre a irrigação arterial gastrointestinal, é INCORRETO afirmar:
Paciente recém-nascido apresenta engasgos, salivação intensa, tosse durante a primeira amamentação. Evolui com distensão gástrica importante, confirmada por radiografia. Não houve sucesso na introdução de sonda nasogástrica, devido à impossibilidade de progressão. Frente ao caso clínico apresentado, o diagnóstico provável é:
Dentre as causas possíveis de visão turva, podemos citar, EXCETO:
Compartilhar