Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Cirurgia Geral

Considere os pacientes abaixo relacionados, ressaltando-se que todos foram atendidos no local do acidente pelo SAMU e encaminhados para um hospital de referência: Paciente 1 – Paciente 38 anos, masculino, vítima de acidente automobilístico, com vítima fatal. Lá chegou acordado, alerta, sem alterações neurológicas, sóbrio, sem relato de dor cervical. Paciente 2 – Paciente sexo masculino, 29 anos, vítima de capotamento. Foi atendido alerta, neurologicamente normal, cooperativo, com relato de dor em região cervicotorácica. Paciente 3 – Paciente 9 anos, masculino, vítima de acidente automobilístico, tendo sido projetado para fora do veículo. Atendido alerta, cooperativo, sem déficit neurológico, sem relato de dor cervical. Paciente 4 – Paciente sexo masculino, 65 anos, vítima de queda, cerca de 8 metros. Estava agitado, confuso, com sinais de hemorragia intra-abdominal, com necessidade de cirurgia de urgência. Qual alternativa contém as opções corretas sobre a conduta em relação à coluna cervical desses pacientes, respectivamente:

A
Paciente 1 – Pode ter o seu colar cervical removido e submetido a exame clínico cervical. Paciente 2 – Deverá ser submetido à radiografia de coluna cervical em incidência lateral, AP e transoral; caso estas estejam normais, deve-se retirar o colar cervical e realizar uma radiografia lateral em flexão. Paciente 3 – Deverá ser submetido à radiografia de coluna cervical em incidência lateral, AP e transoral e a Tomografia computadorizada de coluna cervical. Paciente 4 – deverá permanecer com colar cervical, ser mobilizado com técnica de rolamento em bloco, não deverá ser operado em prancha longa.
B
Paciente 1 – Somente deverá ter o seu colar cervical removido após a realização das radiografias de coluna. Paciente 2 – Deverá ser submetido à radiografia de coluna cervical em incidência lateral, AP e transoral; caso estas estejam normais, deve-se retirar o colar cervical sem necessidade de realizar a radiografia lateral em flexão. Paciente 3 – Deverá ser submetido à Tomografia computadorizada de coluna cervical. Paciente 4 – Só poderá ser operado após avaliação adequada da coluna cervical.
C
Paciente 1 – Pode ter o seu colar cervical removido e submetido a exame clínico cervical e, se não apresentar dor à movimentação lateral, flexão e extensão, não necessitará realizar radiografias. Paciente 2 – Deverá ser submetido à radiografia de coluna cervical em incidência lateral, AP e transoral; caso estas estejam normais, deve-se retirar o colar cervical. Paciente 3 – Deverá ser submetido à Tomografia computadorizada de coluna cervical. Paciente 4 – Poderá ter o seu colar removido, desde que sejam tomados cuidados para prevenir lesão cervical.
D
Paciente 1 – Pode ter o seu colar cervical removido definitivamente. Paciente 2 - Deverá ser submetido à radiografia de coluna cervical em incidência lateral, AP e transoral; caso estas estejam normais, deve-se retirar o colar cervical e realizar uma radiografia lateral em flexão. Paciente 3 – Como está sem dor, poderá ter o colar cervical removido. Paciente 4 – Deverá permanecer com colar cervical e mobilizado com técnica de rolamento em bloco, não deverá ser operado em prancha longa.
Gestante com 14 semanas, detectou sorologia positiva (IgG e IgM) para toxoplasmose com 8 semanas. Qual a melhor conduta?
Você prescreveu fenitoína para uma criança com epilepsia. Dentre os efeitos colaterais, qual o mais frequente?
Lactente masculino, 6 semanas, apresenta desde os 15 dias de vida vômitos não biliosos, em jato, perda de peso e ondas peristálticas visíveis. O distúrbio mais provável de ser encontrado é:
Um paciente de 75 anos, cardiopata, vítima de atropelamento em via pública, é levado ao pronto-socorro em estado de choque, com palidez cutâneo mucosa, sudorese, baixa perfusão e FC de 98 bpm com PA de 90x60 mmHg. Reclama de muita dor abdominal e fica repetindo incessantemente que vai morrer. Frequência respiratória de 23 irpm com ausculta pulmonar normal bilateralmente. Com a infusão de 2000ml de Ringer lactato, sua pressão estabiliza com 100x70 mmHg com FC de 88 bpm. É realizado USG (FAST) nos três compartimentos e é detectado líquido em moderada quantidade no abdome e a tomografia de abdome evidencia uma lesão hepática grau III com moderada quantidade de líquido livre na cavidade. Qual deve ser a conduta frente a esta situação?
Compartilhar