Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Considere uma paciente de 45 anos, colecistomizada há 20 anos sem problemas e que há um mês vem apresentando dor abdominal alta e icterícia progressiva. A suspeita é coledocolitíase, que foi confirmada pela USG. Em relação a este caso, assinale a alternativa CORRETA:

A
Ela deverá ter, obrigatoriamente, colúria.
B
Se ela não tem ainda, terá obrigatoriamente acolia fecal com o passar do tempo.
C
Se ela não tem ainda, terá obrigatoriamente prurido com o passar do tempo.
D
Se ela não teve ainda, é muito pouco provável que ela venha a ter colangite.
E
Se ela não tiver clínica de colangite e aparecer um abscesso hepático numa nova USG, é muito pouco provável que este tenha relação com a doença de base.
O tratamento da cólica renal na gestação pode ser realizada pelos procedimentos abaixo, EXCETO:
Graça, 25 anos, gesta IV/III, todos os partos normais, com idade gestacional de 38 semanas, dá entrada na maternidade em período expulsivo, feto em apresentação pélvica, com BCF positivo. A obstetra inicia a realização do parto normal com a saída de cintura pélvica, cintura escapular e braços. Neste momento ocorre dificuldade na extração do pólo cefálico após a realização da Manobra de Mauriceau. Neste momento a obstetra solicita à enfermeira que traga o fórcipe de:
Priscila tem 22 anos, gesta II/I, idade gestacional de 31 semanas e relato de um parto normal prematuro há três anos. Procura a emergência por apresentar cólicas frequentes que ficaram mais intensas nas últimas duas horas. Durante o exame você identifica BCF 140 bpm, 2 metrossístoles em 10' de 35”, tônus normal, ao toque colo dilatado 2,0 - 3,0 cm, bolsa íntegra cefálica. Diante deste exame você deve:
Você irá apresentar um seminário durante o seu primeiro mês de Residência. O objetivo é rever conceitos básicos e fundamentais para o adequado planejamento terapêutico das pessoas sob seus cuidados. O tema central é o sistema digestório. Dando continuidade à sua apresentação, você fala da combinação entre dieta, acloridria, gastrite atrófica e proliferação bacteriana como determinante para o aparecimento do adenocarcinoma gástrico. Na descrição da fisiopatologia você relembra que a ação bacteriana, neste ambiente, promove:
Compartilhar