Questões na prática

Pediatria

Doenças Respiratórias

Criança de 2 ½ anos, apresenta tosse e febre há 5 dias associada a vômitos, com dificuldade respiratória e piora no estado geral há dois dias. O exame físico apresenta regular a bom estado geral, com frequência respiratória de 60min, frequência cardíaca de 140min, descorado ++/4+, acianótica. Pulmões com movimentos ventilatórios diminuídos à direita com estertores crepitantes e fígado a 2 cm do rebordo costal direito. O raio X de tórax: infiltrado homogêneo em quase todo o hemotórax inferior direito, com sinais de derrame pleural, confirmado pelo decúbito lateral direito. Em relação ao caso é CORRETO afirmar:

A
realizar punção pleural para ver necessidade de drenagem pleural
B
introduzir cefalotina ou oxacilina, mais cloranfenicol, para boa cobertura dos germes mais comuns em pneumonia na faixa etária (pneumococos, haemophilus, influenzae B e estafilococos aureus)
C
aguardar 48 horas com bom esquema de antibiótico (ex: cafalotina + cloranfenicol), então reavaliar necessidade de punção pleural, que no caso deve ser evitado pois o procedimento é invasivo
D
o quadro sugere criança com cardiopatia + insuficiência cardíaca, sendo o quadro pulmonar de edema de origem cardiogênica, mesmo lembrando que o derrame pleural é à direita
E
as alternativas a e b estão corretas
Sobre as patologias cirúrgicas na infância, assinale a alternativa correta:
Nara, 16 anos, traz sua filha de 1 mês e 10 dias, Luiza, à Emergência às 6:30h da manhã, com convulsões tonicoclônicas generalizadas que se iniciaram há, aproximadamente, 30 minutos. A criança começou a “se debater” após a última mamada, aproximadamente às 23h do dia anterior e apresentou várias crises semelhantes durante a madrugada. Exame físico: peso 3560 g, FC 136 bpm, FR 48 irpm. Lactente com crise convulsiva tonicoclônica generalizada, acrocianose (++/4+), hipocorada (+/4+), hidratada, anictérica, fontanela anterior plana, normotensa, crânio sem alterações, isocoria e fotorreagência bilateral; ritmo cardíaco regular, boa perfusão capilar periférica, pulmões bem ventilados, roncos esparsos; quatro lesões equimóticas e acastanhadas, arredondadas, em região lombar paravertebral; abdome plano normotenso, fígado a 1 cm do RCD, baço impalpável; genitália compatível com sexo e idade, sem alterações. Luiza nasceu de parto cesáreo por bolsa rota prolongada, APGAR 9/9, PN 2860 g, CN 49 cm e evoluiu sem intercorrências. Nara reside com seu parceiro atual, que não é o pai da criança; tem dúvidas quanto à necessidade de usar complemento ao aleitamento materno porque Luiza chora muito, todos os dias, principalmente nos finais das tardes. Além de aspirar secreção de vias aéreas, no tratamento imediato estão indicados:
A Síndrome de Mallory-Weis geralmente é associada a:
Correlacione localização de dor abdominal/sinal ou sintoma com diagnóstico correspondente: Coluna 1: 1. Central/Hipotensão. 2. Hipocôndrio direito/Cólica. 3. Epigástrica/Febre. 4. Fossa ilíaca direita/Náusea. 5. Abdome inferior/Hipovolemia. Coluna 2: ( ) Diverticulite de Meckel. ( ) Colecistite aguda. ( ) Pancreatite aguda. ( ) Aneurisma de aorta abdominal em expansão. ( ) Gestação ectópica rota. A ordem correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:
Compartilhar