Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Pediatria Geral

Reumatologia

Criança de 4 anos de idade com história de febre alta há seis dias, acompanhada de exantema macular e eritematoso em tórax e conjuntivite bilateral não purulenta. Ao exame físico observa-se linfadenopatia cervical de 3 cm de diâmetro, descamação em dedos das mãos e SS++/4+ em borda esternal esquerda. No hemograma apresenta neutrofilia e trombocitose. Em relação ao diagnóstico mais provável, é correto afirmar que:

A
a presença de estreptococos do grupo A na orofaringe confirmaria o diagnóstico de escarlatina
B
a penicilina benzatina administrada nas primeiras 24-48 horas poderia reduzir as complicações infecciosas
C
o tratamento com imunoglobulina endovenosa e o ácido acetilsalicílico reduz a prevalência de anormalidades cardíacas dessa doença
D
a cardite e artrite são critérios maiores de Jones utilizados para a confirmação do diagnóstico em questão
E
a gravidade da infecção estreptocócica está diretamente relacionada à ocorrência dessa doença
Os divertículos esofageanos são extrusões saculares da parede do esôfago. Os sintomas de disfagia, regurgitação de alimentos não digeridos e halitose sugerem o diagnóstico de:
Um paciente de 42 anos, masculino, apresenta-se a um serviço de emergência com queixa de dor abdominal difusa de forte intensidade, iniciada subitamente há 6 horas. Ao exame possui fácies de dor e abdômen com rigidez intensa e defesa involuntária difusa. Seus exames de laboratório são inocentes, exceto por discreta leucocitose sem desvios. A rotina de abdome agudo mostra uma lâmina de ar abaixo da cúpula diafragmática direita. A localização mais frequente da patologia provável nesse caso é:
Uma paciente feminina de 65 anos apresenta HAS com insuficiência renal secundária, exames laboratoriais com cálcio sérico de 7,5 e albumina normal. Qual dos fatores abaixo não está associado a esse achado?
Um homem de 68 anos com insuficiência renal crônica relata fraqueza, parestesia e dificuldade respiratória progressiva há 4 dias. Exames laboratoriais revelam K+ 7,2; ECG com ondas T apiculadas e alargamento do complexo QRS. Qual a administração incorreta no tratamento inicial deste paciente?
Compartilhar