Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Dermatologia

Pediatria Geral

Doenças Respiratórias

Dermatologia

Criança de 5 anos, com tuberculose ganglionar é diagnosticada como soropositiva para o HIV, e a avaliação virológica e imunológica revela CV = 200 000 cópias/ml do HIV e CD4 = 450 células/ml (duas avaliações).

A
Essa criança pode ser classificada como SIDA B2 e o tratamento da tuberculose deve ser iniciado com 4 drogas.
B
Essa criança pode ser classificada como SIDA C2 e o tratamento da tuberculose deve ser iniciado após o início do tratamento da infecção pelo HIV.
C
Essa criança pode ser classificada como SIDA C3 e o tratamento da tuberculose deve ser iniciado imediatamente.
D
Essa criança pode ser classificada como SIDA B3 e o tratamento da tuberculose deve ser iniciado com quatro drogas.
E
Essa criança pode ser classificada como SIDA C2 e o tratamento da tuberculose deve ser iniciado com 4 drogas.
Pré-escolar de 1 ano e oito meses, 9400 g, apresenta diarreia há 2 meses com perda de 1600 g, tendo sido amamentado exclusivamente ao seio até o 5º mês de vida. As fezes são líquidas, 3 a 4 episódios por dia, a criança se alimenta normalmente, tem moderada distensão abdominal, e é nítida a diminuição da massa muscular. Endoscopia com biópsia jejunal demonstrou padrão de atrofia vilositária e hipertrofia de criptas. A medida mais adequada para o esclarecimento diagnóstico do quadro histopatológico referido é:
Sobre o Câncer colorretal (CCR) é incorreto afirmar:
Menina, 5 anos de idade, com edema em joelho direito há 3 meses. Exame físico: aumento de volume, discreta dor à movimentação do joelho direito e atrofia da musculatura adjacente da coxa direita. O restante do exame é normal. Diante disso, é correto afirmar que:
Homem de 78 anos de idade em consulta de avaliação pré-operatória para estratificação do risco de complicações cardiológicas, referentes a uma cirurgia de retirada de um carcinoma espinocelular de face, com anestesia local. É portador de insuficiência cardíaca compensada e diabetes, também compensado. Ao exame clínico: íctus desviado para esquerda, sem outras alterações. O eletrocardiograma mostra alterações difusas da repolarização ventricular, a radiografia de tórax e os exames laboratoriais estão todos normais. Neste momento a conduta adequada é:
Compartilhar