Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Criança de três anos, não vacinada, apresenta febre há quatro dias e erupção maculopapular há um dia. Feito diagnóstico de sarampo. A conduta para seu irmão de quatro meses de idade, que mora na mesma casa, é:

A
vacinação imediata com vírus vivo atenuado do sarampo.
B
vacinação imediata com vírus morto do sarampo.
C
imunoglobulina humana (IgH) em dose única.
D
IgH e vacina atenuada do sarampo.
E
não é necessária qualquer conduta.
Lactente, com dois meses de idade, foi levado a consulta de rotina no consultório do Pediatra cooperado da Unimed-Rio. Seu perímetro cefálico está três desvios-padrão abaixo da média para idade e sexo. A mãe relatou que durante o primeiro trimestre da gestação teve Doença Exantemática Febril sem diagnóstico. O lactente apresenta cardiopatia congênita em investigação, retardo no crescimento, coriorretinite, catarata e surdez. Nesse caso a microcefalia deve ter sido causada por:
Paciente de 32 anos, multípara, em pré-natal com médico da família na comunidade onde mora, chega a maternidade em período expulsivo, tendo sido encaminhada para sala de parto. Dá a luz a um menino. No final do primeiro minuto de vida, o recém-nato encontrava-se com extremidades cianóticas, levemente fletidas, com frequência cardíaca de 90bpm/min; respiração lenta e irregular; e reage com movimentos da face à introdução de cateter na narina. O ÍNDICE DE APGAR para este recém-nato no PRIMEIRO MINUTO é:
Homem, 79 anos, refere alteração no hábito intestinal há 1 ano, passando a evacuar várias vezes ao dia, em pequena quantidade, com muco e estrias de sangue nas fezes. Relata dor retal e perda ponderal de 10 kg no período. A abordagem inicial, o provável diagnóstico e o tratamento mais adequado são:
Mulher, 70 anos, com claudicação intermitente em membros inferiores para cerca de 300 metros no plano, acometendo principalmente as regiões de pé e panturrilhas há cerca de seis meses. É hipertensa em uso de anlodipino 10 mg ao dia e também ex-tabagista (fumou cerca de 20 cigarros por dia por 50 anos). Ao exame apresenta pulsos femorais amplos e palpáveis e pulsos poplíteos e distais dos membros inferiores não palpáveis. Índice tornozelo branquial de 0,62 à esquerda e 0,68 à direita. Qual a conduta mais adequada para este caso?
Compartilhar