Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Criança, nascida de parto normal a termo, apgar de 9 no primeiro minuto e de 10 no quinto minuto, pesando 3.280 g, é encaminhado para o alojamento conjunto, usando LM exclusivo. Na alta, após o segundo dia de vida, o pediatra nota icterícia de esclerótica e face. No prontuário, verifica que a mãe é Rh+, grupo A e o RN é Rh negativo, grupo O. A dosagem de bilirrubinas revelou BI igual a 10% do total. A conduta adequada que o caso requer é:

A
realizar fototerapia
B
realizar exanguíneo-transfusão
C
indicar fenobarbital oral, por 14 dias
D
expectar
E
suspender leite materno por 24 horas
Apesar de a avaliação clínica detalhada ser de fundamental importância na propedêutica dos pacientes com insuficiência venosa crônica dos membros inferiores, a localização dos segmentos venosos com refluxo é conseguida preferencialmente com
João Paulo tem 3 anos, está com febre, cefaleia, diarreia, vômitos, intensa dor abdominal, principalmente em FID, sinal de Blumberg positivo; T: 38°C, FC: 124bpm, FR: 40 ipm; realizado Hemograma, que demonstrou leucocitose com bastonetose importante, e parcial de urina com resultado normal. O pediatra fez o diagnóstico inicial de Apendicite aguda. Assinale a alternativa que indica uma outra possibilidade diagnóstica que poderia confundir ou simular esse quadro:
Após passar o dia em banho de igarapé, o menor de 8 anos apresenta dor significativa com a movimentação do pavilhão auricular que está muito hiperemiado. Ele não tem febre, nem êmese, nem outros sintomas. Tem canal auditivo com bastante hiperemia mas membrana timpânica normal. O tratamento apropriado ao caso é:
Criança de dois anos e meio apresenta há dois dias quadro de dispneia e edema, especialmente em membros inferiores. Há duas semanas, teve quadro de resfriado comum com melhora espontânea. Ao exame, a menina está em regular estado geral, FR = 44 irpm; com presença de tiragem subcostal, FC = 148 bpm; PA = 118 x 78 mmHg. Ausculta cardíaca em ritmo de galope, com sopro sistólico em foco mitral e a ausculta respiratória com estertoração bolhosa até terço médio de ambos os pulmões. Fígado palpável a 5 cm do RCD. O diagnóstico provável e a conduta imediata são:
Compartilhar