Questões na prática

Pediatria

Pediatria Geral

Neuropediatria

Mãe leva o filho de quatro meses à consulta no posto de saúde e relata que ele apresentou crise convulsiva tônico-clônica logo após ser vacinado aos dois meses. Ela está preocupada e solicita orientação, pois ele irá ser vacinado novamente. Com base nessa situação hipotética, assinale a alternativa que contém a orientação solicitada.

A
Informar à mãe que a crise convulsiva foi febril e não teve relação com nenhuma vacina.
B
Indicar a DTPa (tríplice acelular) ao invés da DPT na próxima vacinação.
C
Investigar epilepsia na família e não suspender a próxima vacinação pela DPT.
D
É provável que a convulsão ocorrida foi uma reação da vacina do Rotavírus.
E
Prescrever antitérmico e indicar sem restrição a vacinação dos quatro meses.
Às três horas da manhã, você é chamado na sala de emergência para atender uma criança de quatro anos de idade com histórico de diarreia líquida. No exame físico, a criança encontra-se prostrada, pálida, FR 45 ipm, com ruídos respiratórios presentes e bilaterais, FC 150 bpm, enchimento capilar de 5 segundos. Você coloca a criança na máscara facial 10 I/min e solicita à enfermagem pegar um acesso venoso. Qual é a sua próxima conduta?
Em urologia um diagnóstico corriqueiro é o de nefrolitíase. Os distúrbios metabólicos que podem contribuir para a formação de cálculos renais são, EXCETO:
O trauma continua a ser a causa mais comum de mortes e sequelas na infância. Por ano, mais de 10 milhões de crianças são atendidas nas emergências, em diversos países, para tratamento de lesões traumáticas, o que representa quase uma em cada seis crianças. A morbidade e a mortalidade do trauma ultrapassam a de todas as principais doenças em crianças e adultos jovens, fazendo com que o trauma seja o maior problema de saúde pública e de atendimento nessa população. Apesar de as prioridades no atendimento à criança não mudarem se comparadas com as prioridades no atendimento ao adulto, as crianças apresentam algumas diferenças, principalmente, anatômicas, em que a forma de ação será modificada. Nesse contexto, quanto ao adequado atendimento à criança traumatizada, assinale a alternativa INCORRETA.
Você entra em uma quarto para obter a impressão inicial de um menino de 10 anos anteriormente estável e o encontra não responsivo a nenhum estímulo e apneico. Você grita para alguém trazer o carrinho da parada, tenta palpar o pulso e como não consegue inicia a massagem cardíaca e ao chegar a enfermeira com o desfibrilador, o paciente é monitorizado e realizada ventilação usando bolsa-máscara com reservatório. O monitor indica taquicardia de complexo largo. Assim que o desfibrilador chega, você aplica um choque não sincronizado de 2J/kg. A verificação do ritmo após 2 minutos de RCP revela fibrilação ventricular. Então, você aplica um segundo choque de 4J/kg e retoma a RCP imediatamente, começando pelas compressões. Um membro da equipe já havia estabelecido acesso intraósseo, então você dá uma dose de adrenalina, 0,01 mg/kg (0,1 mL/kg com diluição 1:10.000) e a RCP é reiniciada depois de segundo choque. Na verificação de ritmo seguinte, a fibrilação ventricular persiste. Você administra um choque de 4 J/kg e reinicia a RCP. Com base no Algoritmo de Parada Cardíaca Pediátrica, qual a próxima droga e dosagem a ser administradas quando a RCP é reiniciada.
Compartilhar