Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Cynara, 30 anos, gesta II para I, hipertensa e diabética tipo I. Está na 8ª semana de gestação e apresenta sangramento de pequena quantidade e cólicas discretas há 3 dias, que cessaram hoje cedo pela manhã. A ultrassonografia realizada há 2 semanas evidenciou gestação tópica com embrião de 6 semanas e batimentos cardíacos presentes. Ao exame especular apresenta sangramento vaginal muito discreto e, ao toque, útero aumentado de tamanho (+/- 10cm) e colo fechado. Na primeira gestação, Cynara teve parto prematuro na 31ª semana de gravidez e traz o relatório da internação daquela ocasião. Há referência a uma medicação utilizada na tocólise, sendo considerada a possibilidade de associação do uso desse fármaco ao desfecho da gravidez. A provável medicação é:

A
sulfato de magnésio
B
nifedipina
C
salbutamol
D
butibrometo de escopolamina
Paciente procura atendimento com queixas sugestivas de anemia. Eritrograma mostra Hb = 6,0 e VCM = 121. Com base nestes dados, qual das hipóteses abaixo deve ser excluída do diagnóstico diferencial?
Atendendo uma chamada de urgência na enfermaria clínica, observa-se um paciente com hematêmese franca. Após exame e manuseio inicial, com estabilização dos sinais vitais, é visto no prontuário que o mesmo realizou endoscopia digestiva alta pela manhã, tendo sido evidenciado úlcera duodenal não sangrante. Enquanto o serviço de endoscopia prepara-se para receber novamente o paciente, alguns procedimentos cabíveis podem ser realizados. Qual dos itens abaixo representa terapêutica desnecessária neste paciente?
Paciente de 50 anos, previamente sadia, é internada por febre e aparecimento de equimoses em todo o corpo há 2 dias. Os exames de admissão evidenciam Hb = 9,1, discreta leucocitose, plaquetas = 15.000, presença de numerosos esquizócitos no esfregaço periférico, LDH = 1.500 e creatinina = 2,3 mg/dl. Considerando o provável diagnóstico desta paciente, assinale a opção que representa a terapia mais apropriada para este caso.
Mulher de 45 anos, previamente saudável, procura atendimento por dor em cotovelo e febre. Refere inchaço, dor e vermelhidão no cotovelo direito há cerca de 24h, acompanhada de febre de até 40 °C com calafrios. Exame físico evidencia sinais flogísticos em cotovelo direito com demais articulações normais. Não há outros achados no exame físico. Exames laboratoriais evidenciam somente leucocitose de 16.000 células com desvio à esquerda (10% de bastões). Qual a melhor conduta a ser adotada?
Compartilhar