Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Hepatologia

Dentre as assertivas abaixo, a que não causa cirrose e/ou hepatopatia crônica é:

A
deficiência de alfa-1-antitripsina.
B
esquistossomose.
C
doença de Wilson.
D
hemocromatose.
E
mononucleose infecciosa.
Paciente negro, 45 anos, internado no HCTCO há 25 dias, com quadro de empiema pleural, BAAR negativo em três amostras, biópsia pleural inespecífica, apresentando ao raio- X: dreno tórax bem posicionado, nível hidroaéreo, espessamento pleural e cavidade empiemática com mais ou menos 350 ml. Qual a melhor conduta?
Homem, 45 anos de idade, há 2 meses, apresenta dor, edema, calor e rigidez pós-repouso maior que uma hora em punhos, metacarpofalangianas bilateralmente, interfalangianas proximais bilateralmente e tornozelos. É tabagista e não etilista. Nega outras doenças. Nega sintomas em outros aparelhos. Sem outros achados ao exame físico. Traz os seguintes exames: hemograma normal, VHS = 52 mm/1ª hora; proteína C-reativa = 4,3 mg/dl e radiografia simples das mãos e punhos mostrando osteopenia periarticular em punhos e metacarpofalangianas. A melhor conduta para esse paciente é:
A comunicação interventricular é a cardiopatia congênita mais comum. A doença pode evoluir com fechamento espontâneo, hipertensão pulmonar ou estenose pulmonar. No fechamento espontâneo e na hipertensão pulmonar há o desaparecimento do sopro. Qual o sinal clínico que melhor diferencia estas duas evoluções?
Um lactente de 6 meses com suspeita de comunicação interventricular é avaliado. Espera-se à ausculta deste bebê um sopro
Compartilhar