Questões na prática

Clínica Médica

Reumatologia

Dermatomiosite é associado com:

A
Rash morbiliforme generalizado.
B
Malignidade.
C
Lipídeos elevados.
D
Fraqueza da musculatura distal.
E
Doença intestinal inflamatória.
Paciente, sexo masculino, 28 anos de idade, chega à emergência vítima de acidente motociclístico e, segundo relato da equipe de resgate, estava sem capacete e cursou com traumatismo cranioencefálico. Ao exame, o paciente encontrava-se pálido com pulsos filiformes e com expansibilidade torácica bilateral, desorientado, apresentava abertura ocular ao chamado e não possuía movimentação espontânea, mas localizava a dor quando estimulado. Um ferimento linear em supercílio e região temporal esquerdos com sangramento ativo chamava atenção. Considerando-se o diagnóstico de trombose venosa profunda:
Paciente, sexo feminino, 18 anos de idade, com história de dor epigástrica, que migrou para fossa ilíaca direita há 24 horas, associado à febre, náuseas e vômitos. Rotina laboratorial mostrava leucocitose importante com desvio à esquerda e aumento das proteínas de fase aguda. Ultrassonografia do abdome total e tomografia axial com contraste do abdome foram inconclusivas. Submetida a videolaparoscopia diagnóstica, com achado de apendicite aguda fase I, procedida a videolaparoapendicectomia. O exame anatomopatológico do apêndice revelou neoplasia neuroendócrina com 0,8 centímetros e a imuno-histoquímica mostrou tumor carcinoide. A conduta oncológica correta é:
Paciente, 6 anos de idade, apresenta menarca há 5 meses. Ao exame físico, observa-se estadiamento de Tanner: M3 e P2. Dos exames relacionados, é desnecessário, na investigação:
Primípara, amamentando recém-nascido saudável, no terceiro dia pós-parto, sente-se fadigada, sem sono, chora fácil, questionando a sua capacidade de poder nutrir o recém-nascido e medo de não ficar atrativa para o marido. Está se alimentando bem e gosta muito do bebê. Diante desse quadro, o diagnóstico provável é de:
Compartilhar