Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Deu entrada no setor de emergência, paciente de 35 anos, Gesta III, Para II, Aborto I referindo febre há 72 horas e dor em baixo ventre, sem disúria ou polaciúria. A função intestinal encontrava-se preservada. Ao exame, apresentava leucorreia purulenta, dor à mobilização uterina e à palpação dos anexos, massa anexial palpável em fossa ilíaca esquerda de aproximadamente 6,5 cm e ausência de irritação peritoneal. O hemograma com 13.500 leucócitos/mm³ e 9% de bastões. USG transvaginal mostrando formação anexial esquerda septada com debris no interior de moderada quantidade de líquido livre em fundo de saco de Douglas. A conduta inicial é:

A
Tratar com antibiótico parenteral e reavaliar em 48 horas.
B
Tratar ambulatorialmente com antibiótico oral por 14 dias.
C
Realizar laparotomia para drenagem da cavidade abdominal.
D
Observar clinicamente por 48 horas e solicitar ressonância magnética de pelve.
Paciente de 65 anos com início há duas horas de dor retrosternal tipo opressiva com irradiação para mandíbula e dorso, chega ao hospital ainda com dor. Você monitora, instala oxigênio, providencia um acesso venoso e verifica dados vitais. Para continuar o atendimento do paciente acima, qual a conduta que deverá ser tomada a seguir?
Com respeito à asma, marque a alternativa CORRETA.
Uma paciente de 45 anos após duas visitas ao médico em um intervalo de tempo de duas sema­nas apresentou níveis tensionais de 146/94 mmHg. Não apresenta dislipidemia ou diabetes, não há evi­dência de doença aterosclerótica e não sabe relatar sua história familiar. No momento assintomática. Com base nos dados acima qual seria sua opção de manejo inicial desta paciente?
Dentre as medicações abaixo, qual fármaco não opioide é considerado de primeira linha para a dor neuropática?
Compartilhar