Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Neurologia

Dorival, 68 anos, em pré-operatório de carcinoma bem diferenciado localizado no colo esquerdo. História de colonoscopia há dez anos, com remoção de pólipo de 1 cm de diâmetro. Seu irmão mais velho foi operado de câncer no colo aos 80 anos. Tem história prévia de trombose venosa profunda femoropoplítea direita há 10 anos após fratura de ossos de perna e imobilização com aparelho gessado. O ecodoppler venoso recente mostra total recanalização do sistema venoso profundo direito, com discreto refluxo na veia femoral superficial. De acordo com as características do câncer colônico de Dorival pode-se afirmar que:

A
existem critérios para se considerar câncer colorretal hereditário não polipoide (síndrome de Lynch)
B
o diagnóstico histológico provável da lesão ressecada no passado é pólipo hiperplásico
C
o quadro é sugestivo de polipose adenomatosa familiar
D
poderá ser encontrado tecido adenomatoso residual junto ao tumor do cólon, confirmando a sequência adenoma-carcinoma.
O agente etiológico mais comumente envolvido nos casos de osteomielite em uma criança de dois anos de idade é:
Paciente de 70 anos, portador de litíase biliar, apresenta dor abdominal, febre e icterícia. Ao exame, encontrava-se confuso e hipotenso. Os exames bioquímicos revelaram leucocitose com desvio à esquerda, elevação de bilirrubinas, fosfatase alcalina, gama-glutamiltranferase e de transaminases. O ultrassom demonstrou dilatação de vias biliares intra e extra-hepáticas. A melhor opção terapêutica neste caso é:
De acordo com o Manual de Normas para Controle e Assistência das Infecções Respiratórias Agudas do Ministério da Saúde, qual o provável diagnóstico e conduta diante de pré-escolar, 03 anos de idade, com febre e tosse há 48 horas, sem tiragem intercostal ou subdiafragmática, com frequência respiratória de 50ipm?
Você tem em sua enfermaria um paciente de sexo masculino, 53 anos, portador de icterícia obstrutiva de longa evolução. Ao checar a evolução, você percebe que esse paciente, mesmo após 3 dias de reposição de vitamina K intramuscular, mantém tempo de protrombina bastante alargado (RNI 3,0). Em relação a essa informação, assinale a alternativa correta.
Compartilhar