Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Durante anestesia em paciente hipertenso e obeso, a ocorrência da supradesnivelamento de 2 mm persistente do segmento ST no ECG sugere:

A
hiperpotassemia
B
ritmo nodal
C
embolia pulmonar
D
isquemia miocárdica
E
acidose respiratória
Homem, 30 anos de idade, procura pronto atendimento com queixa de tosse seca, secreção nasal importante e dor na face em peso. Os sintomas se iniciaram há 17 dias, melhoraram por volta do quinto dia e logo depois evoluíram com piora progressivamente. Único achado alterado de exame físico: secreção posterior em orofaringe. As condutas diagnóstica e terapêutica corretas são, respectivamente,
G.S.N., 42 anos, sexo masculino, pardo, casado, evangélico, professor, procedente do Bairro Jardim Primavera, procurou a USF local com queixa de "dor nas costas e febre". Refere que há aproximadamente 1 semana, iniciou quadro clínico com disúria, evoluindo há três dias com febre e calafrios, além de dor em hipogástrio, irradiada para flanco e região lombar direita, tipo cólica, moderada e intermitente. Em relação aos antecedentes pessoais patológicos, refere infecções urinárias de repetição, assim como, litíase renal. Ao exame físico, paciente em regular estado geral, lúcido e orientado no tempo e espaço, fáscies de dor, febril (39ºC), eupneico (18 irpm), taquicárdico (106 bpm), normocorado, hidratado, anictérico, IMC = 33 kg/m2, PA 140x90 mmHg. Glicemia de 105 mg/dL. O SINAL SEMIOLÓGICO que reforça a principal hipótese diagnóstica para este caso é o Sinal de:
O achado anatômico mais comum em uma criança com atresia de esôfago é:
Paciente sexo masculino foi submetido a screeening de retina, portador de diabetes tipo 2 e usuário de insulina 2x ao dia. Seu médico avisou que houve formação de novos vasos e ele pergunta ao médico qual a importância disso. Qual a melhor resposta?
Compartilhar