Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Durante o pré-natal do último filho, em paciente puérpera de 3 filhos, foi detectado que ela era portadora do vírus da Imunodeficiência humana tipo 1 (HIV-1) e do vírus da hepatite B. Apresenta carga viral do HIV-1 de 750cópias/mm3 e contagem de CD4 de 628cel/mL. Quanto ao manejo desta paciente, é recomendado:

A
alojamento conjunto; inibição da lactação.
B
alojamento conjunto; liberação para amamentar.
C
isolamento; liberação para amamentar.
D
isolamento; inibição da lactação.
Pac. sexo masculino. 26 anos, iniciou quadro de dor epigástrica e retroesternal, seguidos de vômitos com raios de sangue com evolução de 12h. Refere ingestão abusiva de álcool na noite anterior. Nega episódios semelhantes anteriormente e se apresenta hemodinamicamente estável. Qual a hipóstese diagnóstica?
Um recém-nascido com 25 dias de vida foi levado ao pediatra porque sua mãe notou que ele estava amarelinho. Ao exame, o bebê estava ictérico 3+/4, hidratado, eupneico, pesando 2400 g. Ele nasceu de parto vaginal, após 38 semanas de gestação, pesando 2320 g, e com Apgar 6/8. Com relação a esse caso, o pediatra deve considerar que:
Homem, 67a, queixa-se de hematúria macroscópica sem outros sinais ou sintomas associados. Submeteu-se a investigação com ultrassonografia abdominal que evidenciou duas tumorações vesicais, medindo cada uma 2,5 cm, no fundo e na parede lateral esquerda, respectivamente. O paciente submeteu-se a Ressecção Endoscópica Transuretral (RTU) das lesões, a qual foi completa. Anatomopatológico demonstrou carcinoma urotelial papilífero de alto grau histológico com comprometimento do tecido conjuntivo subepitelial (pT1). Foram encontrados focos de carcinoma urotelial in situ concomitantes. Qual a conduta?
No tratamento da gota, podemos afirmar:
Compartilhar