Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Pediatria Geral

Durante o seu trabalho na unidade básica de saúde, você é contatado de emergência em virtude de um acidente: uma mulher de 35 anos acaba de ser atacada por um cão da raça pitbull, que resultou em mordeduras profundas nas mãos e antebraços. As pessoas que vieram ao seu socorro conseguiram conter o animal com pauladas. Desde então, o animal está desaparecido. No atendimento, você constata várias lesões inciso-contusas nas mãos e antebraços, algumas delas ultrapassando o tecido celular subcutâneo, bem próximas aos tendões das mãos e à articulação do cotovelo. O dono do pitbull, intimado a prestar esclarecimentos, alega que o cão é saudável, bem cuidado e vacinado anualmente contra a raiva. Ao avaliar a mulher, além da vacinação básica, a última dose de vacina antitetânica relatada foi aos 14 anos. Além de cuidados adequados com os ferimentos, a conduta mais adequada em relação ao caso seria (raiva humana/tétano/infecção secundária à mordedura):

A
Vacina vero 2 doses (0,3 dias após o acidente) e imunoglobulina antirrábica/três doses (0,1 e 2 meses após o acidente) da vacina dT/acompanhamento clínico após cinco dias.
B
Vacina vero 5 doses (0, 3, 7, 14 e 21 dias após o acidente), imunoglobulina antirrábica/uma dose de reforço da vacina dT e imunoglobulina antitetânica/amoxacilina + clavulanato durante cinco dias.
C
Vacina vero 2 doses (0,3 dias após o acidente), imunoglobulina antirrábica/três doses (0,1 e 2 meses após o acidente) da vacina dT/acompanhamento clínico após cinco dias.
D
Vacina vero 5 doses (0, 3, 7, 14 e 21 dias após o acidente), imunoglobulina antirrábica / uma dose de reforço da vacina dT/amoxacilina + clavulanato durante cinco dias.
E
Vacina vero 5 doses (0, 3, 7, 14 e 21 dias após o acidente)/uma dose de reforço da vacina dT e imunoglobulina antitetânica/penicilina G benzatina 1.200.000 UI dose única.
A indicação cirúrgica da obesidade mórbida , baseia-se em múltiplos aspectos clínicos do doente e esta indicação é reforçada por fatores como:
Na estenose pilórica podemos afirmar que:
Na hemorragia digestiva alta não varicosa podemos afirmar: 1) Em cerca de 20 a 30% dos episódios o sangramento gástrico cessa espontaneamente. 2) No tratamento clínico, o jejum deve ser mantido pelo menos por um período de 24 horas independente de ter sido aplicado método terapêutico endoscópico. 3) Lavagem gástrica com soro fisiológico gelado a 10 graus centígrados por sonda nasogástrica, através de sucessivas introduções e retirada de 250 a 500 ml de soro tendo a finalidade de fazer vaso constrição local. 4) O uso de 80 mg em bolo de Omeprazol, seguido de 40 mg de 8 em 8 horas, eleva o pH gástrico acima de 6, diminuindo a taxa de recidiva e de sangramento. 5) O uso de antiácidos com a finalidade de elevar o pH gástrico foi comprovado definitivamente que essa atitude se acompanha de efeitos benéficos.
No paciente com acalasia do cárdia existe a indicação de esofagectomia nos seguintes casos:
Compartilhar