Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Durante uma visita de rotina ao pediatra, um garoto de 10 anos de idade apresenta uma glicemia de 220 mg/dL. Após mais algumas perguntas, relata a mãe que ele sempre parece sedento e perdeu vários quilos ao longo dos últimos meses, os quais havia atribuído à intensa prática de futebol e à agitação de sua vida diária. Um exame-fita de urina no consultório mostra 4+ de glicose e 2+ de cetonas. Seus exames iniciais de laboratório mostram Na+ 132, K+ 3,7, Cl- 110, HCO3- 15, glicose 220, ureia 18, creatinina 0,5. Glicemias de jejum em dois dias consecutivos confirmaram os valores iniciais. Nenhuma outra alteração física ou laboratorial é descrita. Com base nessas informações, a etapa inicial mais adequada no cuidado do paciente é:

A
internar o paciente para iniciar fluidos IV e insulina subcutânea.
B
iniciar o tratamento com injeções de insulina subcutânea.
C
dosar hemoglobina glicada.
D
medir os níveis de HbA1c para confirmar o diagnóstico.
E
recomendar um regime alimentar para evitar a perda de mais peso.
O Agente Comunitário de Saúde lhe solicita explicações sobre um recém-nascido que apresenta coloração amarelada da pele. Você colhe, junto ao Agente Comunitário de Saúde, informações sobre a duração da gestação, as condições do parto e da criança ao nascer, o tempo de aparecimento do sintoma específico e verifica também resultados de exames do recém-nascido , realizados na maternidade: hemograma, dosagem de bilirrubinas e teste de Coombs. Diante dos dados clínicos e do resultado de exames, você conclui que trata-se de Icterícia Fisiológica do Recém-Nascido. O que seria correto você informar ao Agente Comunitário de Saúde sobre a Icterícia Fisiológica do Recém-Nascido?
Em um paciente com forte dor ocular, visão muito borrada, fotofobia, lacrimejamento intenso e globo ocular difusamente vermelho, a principal hipótese diagnóstica é:
No tratamento clínico inicial de um queimado, a manobra mais importante consiste em:
Quais cardiopatias congênitas mais frequentes na síndrome de Down?
Compartilhar