Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Nefrologia

Hepatologia

É considerado Shunt portossistêmico seletivo, empregado para o tratamento da hipertensão porta:

A
derivação portocava calibrada.
B
Shunt esplenorrenal convencional.
C
Shunt esplenorrenal distal.
D
Shunt mesocava.
E
Shunt portocava laterolateral.
O paciente J. O. C., de 75 anos de idade, chega ao serviço de pronto atendimento com dor aguda, cansaço, fraqueza muscular e sensação de câimbra nos pés após caminhada de duas quadras, obrigando-o a parar, sem melhora após alguns minutos em repouso. Relata histórico cirúrgico por dissecção aguda da aorta torácica. Ao exame: REG, corado, hidratado, TAX = 37 °C, FC = 100 bpm, FR = 21 irpm, índice tornozelo-braquial (ITB) 0,26. Lesão ulcerosa em MID sem sinais de infecção. Exames indicam leucócitos 8.000 células/mm³ sem desvio. O paciente foi submetido a operação vascular, evoluindo com febre no POI e infecção do sítio cirúrgico (ISC), posteriormente. Com relação a esse caso clínico, julgue o item a seguir. Para esse paciente, o cálculo do ITB é realizado pela relação da maior pressão arterial sistólica da artéria tibial posterior e da artéria dorsal do pé (com obtenção nos dois membros ou em apenas um, dependendo da casualidade) com a maior pressão sistólica das artérias braquiais.
O transplante de fígado é a única opção curativa para pacientes com doença hepática descompensada. São indicações de transplante de fígado no Brasil, EXCETO:
Paciente de 26 anos procura o serviço de saúde com queixas de febre, dor torácica tipo pleurítica à direita, acompanhada de tosse inicialmente seca e posteriormente com escarro amarelado. Exame físico revela propedêutica de condensação e derrame pleural na base do hemitórax direito. RX de tórax mostra imagem de derrame pleural. Hemograma com grande leucocitose e desvio à esquerda. Líquido obtido por punção revela aspecto purulento com PH de 6,2, glicose 30 mg/dl. Qual o melhor procedimento?
Mulher de 25 anos refere tosse seca, dispneia progressiva e sudorese noturna há 2 meses. Ao exame clínico, palpa-se um gânglio cervical anterior esquerdo de +/- 3 cm. RX de tórax mostra alargamento mediastinal superior e tomografia de tórax revela se tratar de linfonodomegalias. A biópsia do gânglio cervical descreve a presença de células de Reed-Sternberg. O estadiamento clínico exclui outros sítios de acometimento da doença. O diagnóstico, o provável subtipo histológico e o estadiamento pela classificação de Ann Arbor são:
Compartilhar