Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Em consulta pré-natal, o obstetra solicita a paciente com idade gestacional de 36 semanas e diagnóstico de doença hipertensiva específica de gestação, o exame de cardiotocografia basal para análise da vitalidade fetal. Com base nos parâmetros analisados do exame, o feto foi classificado como ativo. Esses parâmetros, que constituem o índice cardiotocográfico, são:

A
movimentos fetais, movimentos respiratórios e acelerações transitórias.
B
tônus fetal, volume do líquido amniótico e frequência cardíaca.
C
desacelerações periódicas, movimentos fetais, variabilidade e tônus fetal.
D
linha de base da frequência cardíaca, variabilidade, acelerações transitórias e desacelerações.
E
frequência cardíaca, movimentos respiratórios, movimentos fetais e tônus fetal.
Em paciente com grande queimadura, a causa primária de choque é:
Criança com 3 anos, previamente hígida, com início insidioso de edema generalizado, hipoatividade e diminuição do apetite. Urina mais escura e diminuída nos últimos dias. Mãe refere que ela está com 3kg acima do peso habitual. PA: 90/60mmHg. Exame inicial: Urina I com DU 1020, pH 6, corpos cetônicos +, proteínas +++, leucócitos 5.000, hemácias 40.000, cilindros hialinos. Sua principal HD é:
Criança, 10 meses de idade, apresenta diarreia há dois meses (6 evacuações ao dia com fezes pastosas e líquidas, de grande volume, cheiro azedo, sem muco ou sangue). Teve alguns episódios de vômito nos primeiros dias. A orientação foi fazer hidratação oral. A partir de então, não apresentou mais vômitos, mas a diarreia persistiu com as mesmas características, acompanhada de perda de peso, distensão leve do abdome e assadura perianal, sem febre. Recebeu leite materno até o 6° mês de vida, quando iniciou com leite de vaca, em pó, e aos 7-8 meses: papas de fruta, legumes, carnes, ovos, bolachas e macarrão. Qual o diagnóstico provável dessa síndrome diarreica?
João evolui com instabilidade hemodinâmica e oligoanúria. A creatinina sérica é 5,8 mg/dl e tem 54000 plaquetas/mm³. A radiografia de tórax mostra infiltrado pulmonar bilateral. Entubado, com saída de sangue vivo pelo tubo e colocado em assistência ventilatória. A seguir, apresenta parada cardíaca e o monitor mostra fibrilação ventricular. Foi iniciado protocolo atual de reanimação cardiorrespiratória. O ritmo cardíaco foi refratário a duas tentativas de desfibrilação. Neste momento a conduta é administrar:
Compartilhar