Questões na prática

Clínica Médica

Hematologia

Hepatologia

Em pacientes hospitalizados, os médicos necessitam estar atentos à influência de determinados fatores que interferem nos valores de exames laboratoriais sanguíneos e que não estão envolvidos diretamente com a doença. Com base no enunciado e nos conhecimentos sobre o tema, assinale a alternativa correta.

A
A albumina é uma proteína visceral com meia-vida de 14 dias, sendo considerada como reagente de fase aguda negativa.
B
A transferrina é uma proteína visceral com meia-vida de oito dias, sendo considerada como marcador do metabolismo do ferro, mesmo em casos de inflamação, infecção e trauma.
C
A albumina é uma proteína visceral, considerada específica no diagnóstico de desnutrição proteico-energética na sua forma aguda e sofre influência de estados catabólicos e retenção de fluidos.
D
A albumina é uma proteína visceral cuja concentração plasmática reduzida está associada a aumento da mortalidade e morbidade em pacientes internados.
E
A ferritina é uma proteína de fase aguda negativa e reflete o estado de ferro no organismo.
Criança de quatro anos está internada há três meses por complicações secundárias à doença inflamatória crônica intestinal e queixa-se de muita fome. Como tem fortes dores abdominais e evacua sangue frequentemente, sua nutrição tem sido à base de fórmula de aminoácidos sintéticos e nutrição parenteral parcial. Exame físico: peso: 8.500 g, estatura: 108 cm, ausência de panículo adiposo, abdome distendido com alças visíveis sob a parede abdominal, ausculta pulmonar com murmúrio rude em todos os campos, FC: 96 bpm, sem sopros; palidez leve com ulcerações sangrantes na mucosa oral, alopécia generalizada e unhas ressecadas, que se esfarelam ao serem cortadas. Não senta sem apoio. Exames laboratoriais: cálcio: 7 mg/dl, fosfato: 2,9 mg/dl, fosfatase alcalina: 130 U/I, hb: 8,5 g/dl, leucócitos: 4500/mm³ (0-4-0-4-7-28-53-8); gamaglutamiltransferase: 18 mg/dl, AST (TGO): 46 UI/L, ALT (TGP): 38 UI/L. A carência nutricional específica detectável pelo exame clínico e laboratorial é de:
São causas comuns de obstrução do intestino delgado:
Peri, 35 anos, é atendido pelo GSE em via pública, após acidente automobilístico. Está alcoolizado, apresenta trauma torácico, com desconforto respiratório e hipotensão (PA 90/60 mmHg), que responde a infusão de cristaloides; FC 100 bpm, FR 28 irpm. Submetido a cateterismo vesical que dá saída a 50 ml de urina sanguinolenta, à ultrassonografia abdominal que revela moderada quantidade de líquido livre na cavidade peritoneal; à radiografia de tórax com hipotransparência difusa em hemitórax esquerdo. O procedimento a ser realizado no tórax é:
Com relação às doenças do canal anal podemos afirmar:
Compartilhar