Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Em primigesta, 19 anos, que apresenta quadro clínico compatível com pré-eclâmpsia na 31ª semana de gestação, qual o nível de pressão arterial diastólica a partir da qual deve-se proceder à terapêutica anti-hipertensiva com drogas hipotensoras de ação rápida?

A
90 mmHg
B
100 mmHg
C
110 mmHg
D
120 mmHg
E
140 mmHg
Paciente, 32 anos de idade, G1P0A0, com gestação de 31 semanas, vem ao pré-natal referindo que apresentou palpitações, pele quente, insônia, perda de peso, aumento da tireoide e exoftalmia. Traz exames com Ht: 34%, Hb: 11g%, TSH: 0,001, T4 livre: aumentado. Ultrassonografia obstétrica, IG: 31 semanas e 2 dias, ILA: 95 mm, placenta-grau 1, peso fetal de 1000 g, apresenta aumento das medidas da tireoide fetal. Vem em uso de propiltiouracil (PTU) 400 mg/dia. Em relação ao bócio fetal, deve-se:
Paciente, 32 anos de idade, G1P0A0, com gestação de 31 semanas, vem ao pré-natal referindo que apresentou palpitações, pele quente, insônia, perda de peso, aumento da tireoide e exoftalmia. Traz exames com Ht: 34%, Hb: 11 g%, TSH: 0,001, T4 livre: aumentado. Ultrassonografia obstétrica, IG: 31 semanas e 2 dias, ILA: 95 mm, placenta - grau 1, peso fetal de 1000 g, apresenta aumento das medidas da tireoide fetal. Vem em uso de Propiltiouracil (PTU) 400 mg/dia. Das drogas utilizadas no tratamento do hipertireoidismo na gestação, a que está relacionada à aplasia cútis, à atresia cloacal e esofágica é:
Mulher, 30 anos de idade, G3P2A0, com 40 semanas de gestação, progrediu no trabalho de parto de 6 cm para 7 cm de dilatação cervical em 2 horas. Ao toque: ODP em plano 0 de DeLee, que persiste desde o início do trabalho de parto. A variedade de posição descrita refere à:
Paciente, 20 anos de idade, G1P0A0, dá entrada em serviço de emergência, com atraso menstrual de 15 dias, referindo dor em baixo ventre e sangramento por via vaginal há dois dias. Nega passado de DST. Ao exame, TA: 120 X 60 mmHg, PR: 70 bpm, temperatura de 36,8°C. Abdome plano, flácido e não doloroso à palpação. Ao toque, útero discretamente aumentado de volume, não doloroso. Não foram palpadas massas anexiais. Beta-HCG: 700 mUI/ml (terceiro padrão internacional). USG revela útero vazio e tumoração heterogênea de 1,5 cm, em região anexial esquerda. O próximo passo, nesse caso, deve ser:
Compartilhar