Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Em relação à colestase no período neonatal, responda de acordo com as afirmações abaixo: I- A atresia biliar é a doença crônica hepática que mais frequentemente afeta as crianças, e é a causa mais comum de colestase neonatal. II- A atresia biliar se manifesta nos primeiros meses de vida e, se não tratada precocemente, evolui para colestase crônica, cirrose biliar e óbito em até 2 anos. III- Na atresia biliar, a idade do paciente por ocasião da cirurgia tem sido, comprovadamente, um importante fator prognóstico. Obtém-se o melhor resultado quando a cirurgia é realizada antes dos 60 dias de vida. IV- Na atresia biliar pelas características da doença o transplante hepático está contraindicado.

A
Se todas as afirmativas forem corretas.
B
Se todas as afirmativas forem erradas.
C
Se apenas uma afirmativa estiver correta.
D
Se apenas uma afirmativa estiver errada.
Criança, 4 anos, feminina, atendida no PA com relato de ter apresentado crise convulsiva tônico-clônica generalizada de curta duração, acompanhada de febre elevada sem passado mórbido anterior e com bom estado geral. A conduta mais adequada frente ao caso é:
Com relação às dermatoparasitoses e micoses superficiais na criança, identifique como Verdadeiras (V) ou Falsas (F) as seguintes afirmativas: ( ) A escabiose é causada pelo Sarcoptes scabiei variedade hominis e no lactente se caracteriza pelo acometimento do couro cabeludo e comprometimento de palmas e plantas. ( ) A larva migrans cutânea é causada por ancilóstomos de cães e gatos e se caracteriza pelas lesões pruriginosas de aspecto serpiginoso. ( ) A Tinea capitis na criança se caracteriza por áreas de alopecia e descamação, com cabelos tonsurados, e o tratamento deve ser tópico. ( ) A pitiríase versicolor é mais comum no adolescente, pela característica lipofílica do fungo, que faz parte da flora cutânea normal. Assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA, de cima para baixo:
Paciente feminina, 43anos, obesa, apresentase ao pronto socorro com quadro de dor abdominal de início súbito há 4 dias, localizada em hipocôndrio direito, de forte intensidade, piorando com a ingesta de alimentos gordurosos. Ao exame físico, apresenta frequência cardíaca de 102bpm, freqüência respiratória de 18 mrpm, pressão arterial de 120/80 mmHg, temperatura de 38,5º. C, com calafrios. As mucosas encontram-se úmidas e ictéricas. Ao exame do abdomem, interrompe-se a inspiração por dor durante a palpação profunda do hipocôndrio direito. A paciente traz consigo ecografia abdominal, que demonstra colelitíase, com vários cálculos dentro da vesícula biliar, e dilatação da árvore biliar intra-hepática e do ducto colédoco, com imagem sugestiva de cálculo impactado em sua porção distal. Considerando o caso clínico acima, é correto afirmar:
Juliana, 2 meses e 25 dias de vida, chega ao pronto atendimento com febre. A mãe relata que há 12 horas vem notando a criança muito “quentinha”. Ela sente-se insegura, Juliana é sua primeira filha e o pai está preso em Bangu I por tráfico e uso de drogas. Juliana nasceu de parto normal, realizado na emergência, pensando 3500 g. Não foi amamentada ao seio, usando exclusivamente fórmula láctea. A mãe não realizou pré-natal e perdeu a carteira de imunizações da filha. Exame físico: peso 5.100 g,T.ax 38,5°, FC 148 bpm, FR 40 irpm. Lactente ativa, sem sinais de irritação meníngea, eupneica, com pequena lesão cicatricial em região deltoide de braço direito. Demais aparelhos e sistemas sem aterações. Dentro da Estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância, os sinais e sintomas de perigo para Juliana são:
Compartilhar