Questões na prática

Clínica Médica

Gastroenterologia

Endocrinologia

Reumatologia

Em relação à colite fulminante (CF) e ao megacólon tóxico (MT), complicações graves da doença intestinal inflamatória, assinale a alternativa INCORRETA:

A
Colonoscopia e enema opaco são contraindicados. No entanto, uma retossigmoidoscopia flexível com pouca insuflação de ar poderá ser utilizada.
B
Quando a CF não responde ao tratamento clínico, pode se usar a ciclosporina venosa ou o infliximabe anti-FNT (Fator de Necrose Tumoral).
C
O tratamento inicial de ambas consiste em: repouso alimentar, drenagem gástrica, hidratação vigorosa, antibióticos venosos, corticoterapia, associado a sintomáticos, como: antidiarreicos, opiáceos para dor e anticolinérgicos.
D
Ambos necessitam de tratamento cirúrgico, quando o clínico falha e a colectomia total com ileostomia terminal é a cirurgia de escolha.
E
O Raio-X simples de abdômen tem pouco valor no diagnóstico da CF (serve mais para excluir outras patologias), sendo importante para o diagnóstico do MT.
BSC, de 65 anos, sexo masculino, tem quadro arrastado (seis meses) de alteração da força muscular, que iniciou na perna esquerda, com dificuldades de levantar o pé e, após três meses, a outra perna também estava fraca. Há um mês, os sintomas pioraram, aparecendo fraqueza do braço esquerdo e alteração da voz. Ao exame, notam-se atrofia muscular, sensibilidade normal, hiperreflexia global a fasciculação. O diagnóstico do quadro descrito é:
Na colangite supurativa por colédocolitíase, a principal medida terapêutica é:
Quando o cirurgião encontra dificuldades em suturar um defeito cutâneo produzido por um procedimento cirúrgico devido à tensão, sua melhor opção é:
Paciente adolescente, masculino, apresenta há uma semana dor de garganta e febre. Evoluiu para quadro de pneumonia com derrame pleural e tromboflebite de veia jugular interna. Na hemocultura, apareceu Fusobacterium necrophorum. O quadro que esse paciente apresenta se denomina: (PEDIATRICS, 1995. 96: 354–6)
Compartilhar