Questões na prática

Clínica Médica

Cirurgia

Gastroenterologia

Cirurgia do Aparelho Digestivo

Em relação à hemorragia digestiva alta (HDA), não podemos afirmar:

A
Apesar do conhecimento aprimorado da patogênese e tratamento da doença ulcerosa péptica, as úlceras pépticas gástricas e duodenais são as causas mais comuns de HDA, correspondendo à metade dos casos.
B
Em pacientes com LAMGD (lesão aguda de mucosa gastroduodenal) com estabilidade hemodinâmica, a terapêutica endoscópica geralmente é bem sucedida.
C
O tratamento cirúrgico da úlcera duodenal sangrante é a duodenotomia + ligadura direta do vaso com fio inabsorvível e associada a um procedimento antissecretório (vagotomia troncular + piloroplastia).
D
O tratamento cirúrgico ideal da úlcera gástrica sangrante é sua excisão e não a ligadura, pelo risco de malignidade.
E
A terapia endoscópica pode ser utilizada para interromper sangramentos ativos e prevenir a recorrência em pacientes com alto risco (Forrest I, IIa e IIb).
Paciente politraumatizado apresenta na avaliação primária taquicardia, sem hipotensão. Podemos afirmar que:
Tainará, 12 anos, sofreu lesão na articulação do cotovelo, após cair de um lugar cuja altura era equivalente a sua. A menina queixava-se de dor na articulação. Ao examiná-la, Dr. Emílio detectou sinovite traumática leve e limitação da mobilidade sem impotência funcional. Qual a conduta mais adequada?
Criança de 6 semanas de idade, do sexo masculino é trazida pelos familiares com quadro de vômitos repetidos com restos alimentares (leite materno) e sem bile. Apresenta-se desidratada e prostrada. No exame físico palpa-se “oliva” em abdome superior (epigástrio). Colhida gasometria arterial, esta mostra os seguintes parâmetros: pH = 7,25; PaCO2 = 33; e HCO3 = 12. Podemos afirmar que o diagnóstico mais provável e o distúrbio gasométrico encontrado são respectivamente:
Qual dos fatores abaixo é determinante para definir crise convulsiva febril de alto risco e indica investigação detalhada?
Compartilhar