Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Ginecologia

Em relação ao câncer de endométrio é incorreto afirmar:

A
a obesidade é o único fator de risco constitucional devido ao aumento dos níveis estrogênicos
B
a hipertensão e a diabete são fatores de risco para o câncer de endométrio
C
na terapia hormonal, em mulheres na menopausa, não histerectomizadas, a associação estrogênio e progesterona não é necessária
D
a espessura do endométrio, na ecografia transvaginal, menor que 5mm, está associada com um baixo risco de patologia endometrial
E
a presença de células endometriais no Papanicolau em uma mulher menopáusica é uma indicação para avaliação histológica do endométrio
Leia o caso a seguir. Um lactente de 18 meses apresenta história de obstipação desde o nascimento. Quanto ao desenvolvimento neuropsicomotor, não anda e não fala. Nasceu a termo com peso de 3000 g e estatura de 49 cm e apresentou icterícia neonatal tardia com duração prolongada. Ao exame, apresenta estatura abaixo do percentil 3 (OMS), língua protusa, cabelos secos e quebradiços, pele seca e áspera. Fontanela anterior aberta. Abdome globoso com hérnia inguinal. Diante desse caso clínico, qual o exame complementar obrigatório para confirmação diagnóstica?
No afundamento torácico (tórax flácido) o fator mais importante para o aparecimento da síndrome do desconforto respiratório é:
Lucília sofreu fratura de membros inferiores (fêmur e tíbia) após acidente automobilístico, sem sinais de trauma em tórax ou abdome. Estava em observação na emergência, evoluindo bem. Após 24h do acidente, apresentou dificuldade respiratória progressiva, cianose, torpor, anemia, febre e aparecimento de petéquias no corpo. A radiografia de tórax demonstrou infiltrado hilar e basal, difuso e bilateral. O diagnóstico de Lucília, neste momento, é de:
Jéssica tem 2 anos e chega ao pronto-socorro com dor e incapacidade de movimentação do membro superior direito. A mãe nega história de trauma e informa que tudo aconteceu quando passeavam na praça: "Doutor, ela tropeçou e ia cair quando eu a puxei e levantei pela mão direita". Ao exame, Jéssica mantém o braço direito fletido, tem dor à movimentação e sua mão está em pronação. O diagnóstico mais provável para Jéssica é:
Compartilhar