Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Em relação ao diabetes insipidus, é correto afirmar que:

A
poliúria acentuada, volume urinário diário superior a 3000 ml e urina hipertônica. Osmolaridade plasmática maior que 300 mOsm/L e densidade urinária maior que 1010.
B
se a osmolaridade plasmática for de 295 mOsm/L ou maior, e a urinária for inferior a do plasma, ou seja, urina hipotônica, com densidade urinária menor que 1010, o diagnóstico de diabetes insipidus já pode ser estabelecido.
C
o teste da deprivação hídrica, no qual se observa a osmolaridade plasmática máxima e a osmolaridade urinária, é especialmente recomendado a pacientes com diurese aquosa e hipernatremia.
D
os pacientes com diabetes insipidus nefrogênico respondem significantemente ao DDAVP (desamino-Darginina-8-vasopressina), o que não é observado na forma neurogênica.
E
ocorrem níveis muito elevados do hormônio antidiurético e isso resulta em surgimento de hiponatremia com níveis de osmolaridade urinária muito reduzidos, caracterizando a diurese aquosa e volumosa desses pacientes.
Paciente de 25 anos, nulípara, chega ao consultório com amenorreia há 4 meses e diagnóstico de Síndrome dos Ovários Policísticos, com desejo de gestação o mais breve possível. Ao exame: acne grau I, oleosidade excessiva da pele, hirsutismo leve, IMC 31 kg/m². TSH, T4 livre, prolactina, DHEAS e testosterona são normais. Glicemia em jejum 105 mg/dl. Qual a opção terapêutica mais indicada para o caso?
A violência doméstica é considerada um grave problema de saúde pública. O atendimento destas crianças deve ser uma equipe interdisciplinar, composta por profissionais qualificados e sensibilizados com o tema. Em relação ao diagnóstico e ao manejo de maus-tratos contra crianças e adolescentes, está correto afirmar que:
Paciente com quadro de dor de início súbito em abdômen superior, irradiada para o dorso. Procura serviço de emergência de hospital geral, onde realiza ecografia abdominal, que diagnostica pancreatite aguda edematosa com presença de cálculos em vias biliares. O manejo inicial deverá ser:
Um menino de 11 dias de vida, nascido de parto cesáreo a termo, foi levado à emergência devido à diarreia, pobre sucção, edema e vermelhidão palpebral bilateral. A secreção ocular surgiu dois dias após o parto e foi tratada com tobramicina colírio. Com cinco dias de vida, foi levado ao seu pediatra, devido à persistência da secreção ocular, temperatura de 39°C, diarreia e pobre sucção. O hemograma nesta ocasião mostrou valores normais e proteína C reativa elevada de 1,7 mg% (valor normal 1,2 mg%). Ele recebeu hidratação oral, colírio de tobramicina e gemidos e choro fraco, fontanela normotensa e não abaulada, edema e pequena lesão violácea bilateral na região Periorbitária associada a uma secreção amarelada sem cheiro, abdome flácido e ausência de hepatoesplenomegalia. A pele mostrava perda do turgor e elasticidade, sem evidências de petéquias ou rash; a criança foi submetida a uma completa avaliação para sepsis e foi iniciado o tratamento com ampicilina e ceftaxime. Um swab ocular e a hemocultura revelaram o agente etiológico. Um exame oftalmológico mostrou córnea e retinas intactas bilateralmente. Qual é o diagnóstico mais provável?
Compartilhar