Questões na prática

Clínica Médica

Endocrinologia

Cardiologia

Nefrologia

Em relação ao tratamento da hipertensão arterial sistêmica, assinale a alternativa correta.

A
Drogas que estimulam os receptores alfa-2-pré-sinápticos, como metildopa e clonidina, não devem ser usadas em pacientes com falência renal avançada e consequente estimulação simpática exacerbada pela sobrecarga de volume, pois tem excreção renal predominante.
B
Os diuréticos de ação no néfron distal, como os tiazídicos, são os mais indicados no paciente com edema e clearance de creatinina abaixo de 20 mL/min, pois tem excreção hepática predominante.
C
O betabloqueador não seletivo, propranolol, é a droga mais indicada ao paciente que apresenta hipertensão associada a claudicação intermitente, diferente do metoprolol que é contraindicado nessa condição, mesmo em doses muito baixas.
D
Em pacientes com clearance de creatinina abaixo de 20 mL/min, pré-dialíticos, constitui uma boa opção terapêutica a associação de diuréticos de alça em doses elevadas, bloqueadores dos canais de cálcio dihidropiridínicos, e, ventualmente, o uso de agonistas centrais como metildopa ou clonidina.
E
Os diuréticos de ação no néfron distal, como os tiazídicos, são drogas preconizadas ao tratamento do paciente hipertenso com hipercalcemia e hiponatremia, diferente dos diuréticos de alça, como a Furosemida, contraindicados nessas condições.
Paciente, 20 anos de idade, G1P0A0, dá entrada em serviço de emergência, com atraso menstrual de 15 dias, referindo dor em baixo ventre e sangramento por via vaginal há dois dias. Nega passado de DST. Ao exame, TA: 120 X 60 mmHg, PR: 70 bpm, temperatura de 36,8°C. Abdome plano, flácido e não doloroso à palpação. Ao toque, útero discretamente aumentado de volume, não doloroso. Não foram palpadas massas anexiais. Beta-HCG: 700 mUI/ml (terceiro padrão internacional). USG revela útero vazio e tumoração heterogênea de 1,5 cm, em região anexial esquerda. São fatores de risco para gravidez ectópica, exceto:
Mãe leva seu filho de 4 anos de idade ao atendimento médico por queixa de “testículo direito inchado”, progressivo há 3 meses. Relata que este “inchaço” é observado principalmente ao final do dia. Quando a criança acorda, os testículos aparentam ter praticamente o mesmo tamanho, pois praticamente não se observa tal "inchaço" . Não há queixa de dor, vômitos ou de aumento de volume em região inguinal aos esforços. Também nega história de trauma recente na região. Ao exame, observa-se que ambos os testículos são tópicos, com superfície lisa, tamanho e consistência normais, sendo que o esquerdo é retrátil. À palpação do testículo direito, detecta-se hidrocele moderada, confirmada por transiluminação. Não há sinais inflamatórios e, mesmo à manobra de Valsalva, não se observa abaulamentos inguinais. A melhor conduta para essa criança é:
No quadro clínico da oclusão arterial aguda temos:
A punção de macrocisto, recidivado em paciente de 42 anos de idade, aspirou 18 ml de líquido hemorrágico. A conduta adequada para o caso apresentado é:
Compartilhar