Questões na prática

Pediatria

Cirurgia

Neonatologia

Cirurgia Geral

Doenças Respiratórias

Em relação aos distúrbios metabólicos no período neonatal, é correto afirmar:

A
São causas de hiperglicemia transitória: galactosemia, tirosinemia e deficiência de glicose-sintetase.
B
Prematuros com menos de 32 semanas de idade gestacional, os que receberam nutrição parenteral prolongada, os portadores de displasia broncopulmonar e os que fazem uso crônico de furosemida são de risco para hipoglicemia.
C
Sendo a hipoglicemia, na maioria das vezes, assintomática, deve ser feita a monitorização de todos os neonatos de risco, principalmente nas primeiras 48 horas de vida.
D
Na suspeita de hipocalcemia, é recomendável também a dosagem do potássio, pois também pode haver hipopotassemia.
Srª Ana Maria, 68 anos, internato na unidade Clínica Médica há 6 dias para tratamento de úlcera de perna, queixou de dor abdominal de forte intensidade, contínua, que surgiu há 2 horas, com piora progressiva e sem melhora com analgésicos e anti-inflamatórios. Ao exame físico apresentava-se sudoreica, agitada, sem distensão e sem sinais de irritação peritonial. Leucócitos: 13.500, lactato: 7mmol/L. A conduta diagnóstica é:
Na síndrome compartimental aguda dos membros inferiores, o achado clínico inicial de maior sensibilidade para o diagnóstico é:
Uma paciente de 70 anos, hipertensa, apresenta quadro súbito de dificuldade na articulação da palavra e perda dos movimentos do dimídio direito, com reversão completa e espontânea após 20 minutos. Ao exame clínico apresenta-se consciente e lúcida, sem déficits motores aparentes; corada eupneica; PA: 145 x 95 mmHg; pulso arrítmico e acelerado (120 bpm); ausculta cardíaca sem sopros, pulmões livres, sem anormalidades nos pulsos periféricos. O eletrocardiograma revela taquiarritmia ventricular por fibrilação atrial; sua tomografia computadorizada não evidenciou sinais de sangramento cerebral e não havia ateromatose apreciável no ultrassom das carótidas. Qual a conduta imediata mais adequada:
Você recebeu um lactente de 6 meses com história de estridor desde os primeiros dias de vida. Na anamnese, você registra que o ruído surgiu nos primeiros dias de vida e que vem se agravando a cada dia, não ocorrendo variações com as mudanças de decúbito. O lactente já foi atendido em emergência duas vezes, pois apresentou cianose e sufocação durante as alimentações. A mãe não observou choro rouco. Nos antecedentes, o parto foi cesáreo, a termo, sem intercorrências, Apgar 9/10. Nas suas considerações diagnósticas, em primeiro lugar, você incluiria:
Compartilhar