Questões na prática

Clínica Médica

Hepatologia

Em um ambulatório de gastroenterologia de um Hospital Terciário, compareceu um paciente do sexo masculino, 38 anos de idade, ex-usuário de drogas injetáveis, com os seguintes exames: Data: 21/11/2007 - HBsAg+, Anti-HBc IgG+, Anti-HBs-, HBeAg-, Anti-HBc+, Anti-HCV-, Anti-HIV-, Anti-HVA IgG+, hemograma normal. TGO 125, TGP 156, TP 100%, plaquetas 234.000, BT 1.0, BD 0,6. Data: 15/09/2008 - HBsAg+, Anti-HBs-, Anti-HCV-, HBeAg-, Anti-HBe+, TGO 165, TGP 148, hemograma normal, plaquetas 199.000, TP 100%. Nessa situação, pode-se afirmar que, provavelmente, trata-se de um portador de:

A
vírus selvagem (Wild Type), e devemos realizar biópsia hepática.
B
mutação pre-core, e devemos solicitar detecção do DNA viral por método quantitativo.
C
mutação prec-ore, e devemos solicitar biópsia hepática.
D
vírus selvagem (Wild Type), e devemos solicitar detecção do DNA viral por método qualitativo.
E
mutação pre-core, e devemos solicitar detecção do DNA viral por método qualitativo.
Para se evitar trombose arterial, é necessário inibir a agregação plaquetária. Dentre as substâncias (natural ou medicamentosa) abaixo, indique a que NÃO inibe a agregação das plaquetas:
Você avalia um paciente na sala de emergência e conclui que este é portador de uma ferida transfixante de mediastino. Sua conduta deverá ser:
Os tumores primitivos do intestino delgado são raros apesar desse segmento representar aproximadamente 80% do comprimento total do trato gastrointestinal. Sobre os tumores do intestino delgado, assinale a alternativa incorreta.
Gestante de 35 semanas de idade gestacional, hipertensa, em uso de metildopa 250 mg de 8 em 8 horas e propanolol 40 mg ao dia. Realiza ultrassonografia, que apresenta os seguintes resultados: feto único, em situação longitudinal, apresentação cefálica. Batimentos cardiofetais com frequência de 150 bpm. Líquido amniótico: ILA = 10 cm. Placenta tópica, grau II (granum). Dopplerfluxometria apresentando diástole zero da artéria umbilical, idade gestacional ultrassonográfica de 35 semanas. Em relação ao líquido amniótico podemos concluir que a paciente apresenta:
Compartilhar