Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Em um paciente de 54 anos, realizou-se uma tomografia computadorizada do tórax e encontrou-se incidentalmente um nódulo pulmonar solitário, com dois centímetros de diâmetro, circunscrito ao lobo superior do pulmão direito. Qual das condutas abaixo não deve ser tomada?

A
Indicar uma toracotomia com ressecção tumoral para diagnóstico e tratamento definitivo.
B
A conduta deve ser expectante se este paciente apresenta este nódulo inalterado há mais de dois anos, documentado por exames radiológicos seriados.
C
Não há indicação de toracotomia para os nódulos que apresentem padrões de benignos de calcificações.
D
Em se tratando de um hamartoma a toracotomia está formalmente indicada.
E
Não realizar a toracotomia nos pacientes com risco cirúrgico elevado.
Mulher de 25 anos, em consulta num posto de saúde, apresenta há 1 ano episódios frequentes de cefaleia hemicraniana esquerda de forte intensidade, com duração de até 24 horas. As crises ocorrem 4 a 5 vezes por mês, são acompanhadas de náusea, pioram em ambientes barulhentos e não respondem ao uso de paracetamol. O médico que a examinou prescreveu dois medicamentos: o primeiro, de uso diário, para prevenir as crises de cefaleia e o segundo, para ser usado somente quando houver dor. Dentre os abaixo, os medicamentos adequados são, respectivamente:
Nesta questão é apresentado um quadro clínico hipotético, seguido de uma assertiva a ser julgada. Uma paciente de 5 anos de idade deu entrada no pronto-socorro. A mãe referiu que a filha apresenta emagrecimento nos últimos dois meses, poliúria, polidipsia e polifagia. Hoje, teve queda do estado geral, com sonolência excessiva. No exame físico, a paciente encontrava-se magra, desidratada ++/4 e com respiração acidótica (Kussmaul). Os exames laboratoriais apresentam glicemia de 512 mg/dL, acidose metabólica (pH 7,2 e bicarbonato - 12 mEq/L), cetonúria positiva (+++) e potássio de 4,5 mEq/L. A principal suspeita diagnóstica foi de diabetes melito, e os quadros clínico e laboratorial foram compatíveis com cetoacidose diabética. Nessa situação, a terapêutica mais indicada é hidratação rápida, insulinoterapia em doses baixas e oferta precoce de potássio.
Você foi chamado para avaliar um paciente de 4 meses de idade internado por bronquiolite, que apresentava queda de saturação de oxigênio. Ao chegar à unidade de internação, o paciente estava em uso de cateter de O2 nasal com 4 L/min, saturação de O2 = 50%, FC = 110 bpm, FR= 100 irpm, presença de tiragens intercostais e subcostais, uso de musculatura acessória e cianose. Enquanto você pedia ajuda e preparava o material, o paciente evoluiu em parada cardiorrespiratória. Assinale a alternativa CORRETA, que apresenta o ritmo de parada mais comum nesta situação.
Criança, 10 meses de idade, apresenta diarreia há dois meses (6 evacuações ao dia com fezes pastosas e líquidas, de grande volume, cheiro azedo, sem muco ou sangue). Teve alguns episódios de vômito nos primeiros dias. A orientação foi fazer hidratação oral. A partir de então, não apresentou mais vômitos, mas a diarreia persistiu com as mesmas características, acompanhada de perda de peso, distensão leve do abdome e assadura perianal, sem febre. Recebeu leite materno até o 6° mês de vida, quando iniciou com leite de vaca, em pó, e aos 7-8 meses: papas de fruta, legumes, carnes, ovos, bolachas e macarrão. Qual o diagnóstico provável dessa síndrome diarreica?
Compartilhar