Questões na prática

Clínica Médica

Cardiologia

Em uma consulta ambulatorial de clínica médica verificou-se, durante o exame físico em um paciente com 22 anos de idade assintomático cardiovascular, a presença de discreto abaulamento e impulsão sistólica da região paraesternal esquerda baixa, ritmo cardíaco regular em 2 tempos, com hiperfonese e desdobramento amplo e fixo da segunda bulha cardíaca (que não varia com as manobras de Rivero-Carvallo e de Valsalva) no foco pulmonar, sopro sistólico ejetivo no segundo espaço intercostal esquerdo, sem irradiação, ausência de cliques e estalidos. O eletrocardiograma convencional e radiografia de tórax mostraram, respectivamente, ritmo sinusal, eixo do QRS desviado para a direita, leve sobrecarga do ventrículo direito e bloqueio completo pelo ramo direito do feixe de His; as imagens radiológicas evidenciaram vasos pulmonares periféricos e centrais dilatados, aumento moderado da área cardíaca à custa das câmaras direitas e botão aórtico pequeno. Nesse caso clínico, a principal hipótese diagnóstica é de:

A
hipertensão arterial pulmonar.
B
comunicação interatrial.
C
estenose na valva pulmonar, grave.
D
comunicação interventricular.
E
persistência do canal arterial.
O tratamento cirúrgico preferencial para os pacientes com megaesôfago não avançado é
Todo recém-nascido, cuja mãe foi caso suspeito ou confirmado de rubéola durante a gestação, tem o diagnóstico de Síndrome de Rubéola Congênita confirmado na presença de malformações congênitas e, pelo menos, uma das seguintes condições:
Paciente chega ao HUGO após queda de moto com dor em perna direita com deformação e limitação funcional do membro afetado. Ao exame físico: fratura exposta maior que 1 cm de extensão, sem dano excessivo das partes moles, sem retalho ou avulsão. A Radiografia confirma a fratura de tíbia e fíbula. Qual o grau da lesão segundo a classificação de Gustilo e Anderson?
Mulher, 18 anos, chega ao PA dizendo estar resfriada há 2 (duas) semanas. Sua principal queixa é de obstrução nasal, rinorreia amarelo-esverdeada e pigarro incômodo que a faz tossir secreção amarelo-esverdeada. Nega febre ou cefaleia. O quadro provável é de:
Compartilhar