Questões na prática

Cirurgia

Cirurgia do Trauma

Em uma paciente, vítima de traumatismo abdominal em choque profundo, distendido com suspeita de múltiplas lesões viscerais, uma abordagem para controle de danos NÃO inclui:

A
Rápida abordagem da cavidade abdominal para descompressão.
B
Hemostasia cirúrgica dos grandes vasos abdominais que sangram ativamente.
C
Hemostasia por tamponamento com compressas dos sangramentos por provável coagulopatia.
D
Fechamento bem hermético de cavidade abdominal para evitar descência.
E
Encaminhamento do paciente para UTI, para ressuscitação, estabilização e uma nova abordagem cirúrgica entre 24 e 48 horas.
Andreia, 18 anos, gesta I/0, vai a sua primeira consulta de pré-natal e leva o laudo da primeira ultrassonografia transvaginal que revelou gravidez gemelar em torno de 11 semanas, com presença de membrana intergemelar com aspecto de “T” invertido. Diante deste resultado você conclui que a gravidez de Andreia é:
Na doença do refluxo gastroesofágico, nós sabemos que o esfíncter esofagiano inferior (EEI) desempenha papel fundamental no que diz respeito à fisiologia normal da junção esofagogástrica. Dentre as opções abaixo, qual a que NÃO representa uma condição que altera o bom funcionamento deste esfíncter?
No Ocidente, cerca de 90% dos casos de hepatocarcinoma incide em pacientes portadores de doença hepática crônica. Qual das patologias abaixo apresenta o MAIOR RISCO para o desenvolvimento de hepatocarcinoma?
É considerado o exame “padrão ouro” para o diagnóstico da diverticulite aguda:
Compartilhar