Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Ginecologia

Em uma situação em que não há disponibilidade de ultrassonografia, uma mulher apresentou- se ao Médico de Família e Comunidade com dor pélvica, mas sem sinais de irritação peritoneal. Qual dos grupos de achados abaixo apoiaria integralmente o diagnóstico de doença inflamatória pélvica aguda?

A
Varizes vulvares + aderências, miomas e cisto ovariano à palpação.
B
Dor à mobilização do colo, dor à palpação anexial, febre e proteína C reativa aumentada.
C
Leucocitose, HIV positivo, diarreia e delírio.
D
Beta-HCG positivo, pressão arterial > 160/ 100 mmHg, proteinúria e edema de pernas.
E
Sangramento uterino aumentado, flatulência, humor depressivo e polaciúria.
A doença oncólogica infanto-juvenil, segundo o Instituto Nacional de Combate ao Câncer - INCA (2006) - já representa a terceira causa de morte entre 1 e 14 anos de idade em nosso país, devido á falta de tratamento e diagnóstico precoces. A incidência anual estimada de câncer infantil é de 124 casos a cada 1 milhão de habitantes brancos, e de 98 casos por milhão de habitantes negros, sendo que são estimados 7 mil casos novos anualmente (INCA, 2006). Para a nossa região, de acordo com as estimativas, espera-se um nº de 93 casos novos ao ano (população de abrangência de 750.000 habitantes). A taxa de incidência do câncer infantil tem crescido em torno de 1% ao ano. Este crescimento tem sido inversamente proporcional ao crescimento da taxa de mortalidade e estima-se que a taxa de cura global esteja em torno de 85%. É esperado que, em 2010, um em cada 250 adultos seja um sobrevivente de câncer na infância (RODRIGUES & CAMARGO, 2003). Buscando um diagnóstico precoce, relacione os sinais e sintomas apresentados pelas crianças e adolescentes e o tumor correspondente: 1- Cefaleia matinal persitente; 2- Teste do reflexo vermelho alterado; 3- Sangramento vaginal; 4- Hematúria e hipertensão arterial; 5- Febre de causa não identificada; 6- Excessivo ganho de peso, estrias, hirsutismo e acne. ( ) Retinoblastoma; ( ) Carcinoma de adrenal; ( ) Diversas neoplasias; ( ) Rabdomiossarcoma; ( ) Tumor de Wilms; ( ) Tumor de SNC. A sequência correta é:
As questões 33 e 34 referem-se ao caso clínico a seguir: Mulher, 26 anos, secundigesta, com teste para gravidez (?hCG - 500mUI/ml) positivo. Pela data da última menstruação, a idade gestacional é de 5 semanas e 3 dias. O exame obstétrico revela útero de volume levemente aumentado, com colo amolecido, principalmente na região do istmo, além de ocupação dos fundos de saco vaginais. Não há sangramento nem leucorreia. No dia seguinte à consulta realiza ultrasonografia (US) que revela um saco gestacional de aspecto regular, compatível com 5 semanas e 6 dias de gestação, sem evidências de eco embrionário em seu interior, colo fechado e ovários normais. A orientação adequada é:
Lactente de 1 ano e 6 meses, com diagnóstico prévio de Tetralogia de Fallot, em uso de propranolol. Trazido ao pronto socorro pela mãe, pois ficou roxinho, após aplicação da vacina BCG no posto de saúde. Ao exame encontrava-se cianótico 3+/4+, agitado e chorando. Foi colocado em oxigenoterapia. FC = 176 bpm, pulsos fortes e perfusão limítrofe. FR = 36 ipm, esforço leve a moderado, pulmões limpos. O fígado não era palpável e o abdômen era flácido. Referente ao caso, está correta a seguinte afirmativa:
Mulher, 23 anos, com queixa de náusea e vômito 12 horas após ingestão de carne bovina enlatada. Na avaliação, ela refere diplopia e você percebe disartria, rouquidão e midríase. No período de observação na emergência surgem ptose e fraqueza nos membros superiores. Marque o correto sobre o caso em questão.
Compartilhar