Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Endocrinologia

Escolar de 10 anos, diabético tipo 1, insulinodependente , é levado ao ambulatório devido dificuldade controle glicêmico pela manhã ao acordar. Segundo sua mãe a criança acorda no início da madrugada com cefaleia e sudorese fria, mas pela manha a glicemia capilar encontra-se sempre elevada e a glicosúria é positiva. Em uso de insulina intermediária e rápida (3U/kg/dia) em esquema de 12/12h. Qual a provável causa da instabilidade glicêmica desta criança?

A
Infecção recorrente;
B
Hipersensibilidade a insulina;
C
Período de lua de mel;
D
dose baixa de insulina;
E
Fenômeno de Somogyi.
Desde a década passada, a Atenção Integral às Doenças Prevalentes da Infância (AIDPI) revelou-se uma estratégia adequada à disposição dos médicos, com um conjunto básico de intervenções baseadas em evidências científicas que permitem prevenir e tratar eficazmente as principais doenças e problemas que afetam a saúde nos primeiros anos de vida. Acerca dessas evidências, julgue o item. O caso de uma criança que se queixa de dor no ouvido e que, na observação, apresenta secreção purulenta no ouvido e tumefação dolorosa ao toque atrás da orelha deve ser classificado como mastoidite.
A febre amarela e a dengue são doenças cujas estruturas epidemiológicas apresentam semelhanças. A respeito desses agravos, julgue o próximo item. A febre amarela silvestre é clinicamente mais grave que a febre amarela urbana.
Assinale a alternativa que NÃO precisa ser evitada no caso de paciente do sexo masculino com diagnóstico de paralisia periódica hipercalêmica.
Qual das alternativas abaixo não corresponde às características do mosquito Aedes aegypti, vetor do vírus da dengue?
Compartilhar