Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Infectologia

Doenças Respiratórias

Escolar de 12 anos inicia com quadro de mal-estar, tosse seca, dor de garganta, cefaleia e febre. Duas semanas após, procura o médico por agravamento da tosse que é persistente, muito intensa, em paroxismos, com escarro mucoide. Ao exame físico, auscultam-se alguns roncos nas bases. O exame radiológico de tórax mostra broncopneumonia intersticial. O agente mais provável para esse quadro é:

A
Staphylococcus aureus.
B
Haemophilus influenzae.
C
Mycoplasma pneumoniae.
D
Pseudomonas aeruginosa.
E
Streptococcus pneumoniae.
Paciente masculino, 40 anos, previamente hígido, em atendimento emergencial por cefaleia, recebe infusão endovenosa de dipirona. Logo após a infusão da medicação refere náusea, seguida de dispneia e tontura. Ao exame apresenta-se taquicárdico, com sudorese fria e hipotensão. Sequencialmente apresenta piora do nível de consciência e choque. Sobre o diagnóstico e a terapêutica inicial (imediata) para esse caso, assinale a alternativa correta.
É considerado Shunt portossistêmico seletivo, empregado para o tratamento da hipertensão porta:
Homem com história de impotência sexual progressiva e claudicação intermitente de longa data (> 1 ano), que tem se agravado. Ao exame clínico percebe-se acentuada diminuição dos pulsos femorais. Deve-se pensar em:
A prenhez ectópica tubária que algumas vezes ultrapassa a 16ª semanas é:
Compartilhar