Questões na prática

Clínica Médica

Nefrologia

Escolar de 8 anos, apresentando quadro sugestivo de GNDA pós estreptocócica, na quarta semana de doença ainda mantém hipertensão arterial e hematúria macroscópica. Exames complementares: Proteinúria 70 mg/Kg/dia; ureia 90 mg/dl; creatinina 3,7 mg/dl; ultrassonografia de vias urinária, rins aumentados de volume, sem perda da relação corticomedular. Neste caso indica-se:

A
Restrição hídrica rigorosa e dieta hipoproteica;
B
Plasmaférese e pulsoterapia ciclofosfamida;
C
Biópsia renal e pulsoterapia com metilprednisolona;
D
Diuréticos de alça e inibidores da enzima conversora;
E
Corticoide e ciclofosfamida por via oral;
Para um homem idoso, com um infarto do miocárdio pregresso, foi indicado o uso de ácido acetilsalicílico para prevenção secundária de novas síndromes coronarianas. Dentre as seguintes, a dose diária que melhor une as características de prevenção e menor custo é:
Homem de 24 anos, chega ao pronto-socorro após acidente automobilístico apresentando politraumatismos com diversos ferimentos de risco para tétano. Tem esquema de vacinação atualizado, sendo que há dois anos fez o reforço de toxoide tetânico. Como profilaxia do tétano, a melhor conduta é:
Uma pessoa de 32 anos que viaja pela América do sul várias vezes ao ano, por necessidade profissional, consulta o médico quanto à vacinação contra febre amarela. Diz que a última vez que tomou a vacina foi em agosto de 2000. A melhor recomendação é:
Lactente de 7 meses de idade, com bom estado nutricional e alimentado ao seio, subitamente apresentou crises de choro identificadas como cólicas abdominais. No intervalo das crises, passava bem, chegando a brincar e sorrir. Com o passar do tempo, as crises foram-se amiudando e observou-se a eliminação de fezes mucossanguinolentas. Ao exame: afebril, massa palpável ao nível hipocôndrio direito; o toque retal deu saída a fezes tipo “geleia de morango”. Qual o provável diagnóstico?
Compartilhar