Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Neurologia

Escolar de seis anos com história de náusea ocasionalmente acompanhada de dor abdominal, seguida de cefaleia bitemporal, de caráter pulsátil, episódica, associada à fotofobia e fonofobia, com exame neurológico normal. A primeira hipótese diagnóstica é:

A
Processo expansivo do sistema nervoso central.
B
Infecção do sistema nervoso central.
C
Ruptura de aneurisma cerebral.
D
Enxaqueca.
E
Tumor cerebral.
Paciente de 54 anos, casada, VII Gesta Para (6 partos normais), agenda consulta no ambulatório de ginecologia por sangramento genital persistente, que adquiriu odor fétido nos últimos 2 meses. Ao exame ginecológico especular, o colo uterino tinha anatomia alterada em virtude de lesão vegetante, sangrante ao toque da pinça de Cherron. Ao toque bimanual, o útero e ovários tinham volumes normais, esperados para a idade da paciente. Ao toque retal havia um abaulamento extrínseco anterior, e o paramétrio estava fortemente endurecido, com nodulações até a pelve óssea. Submetida à biópsia dirigida do colo uterino, o resultado foi de carcinoma epidermoide invasivo.
Paciente de 24 anos, sexo feminino, portadora de lúpus eritematoso sistêmico, é admitida na Unidade de Emergência queixando-se de dispneia de repouso. Ao exame físico, apresenta taquicardia, pulso filiforme, estase jugular +++/4, PA - 90/40 mmHg, bulhas cardíacas hipofonéticas e ausculta pulmonar com murmúrio vesicular globalmente diminuído discretamente. A principal hipótese diagnóstica é:
Nos casos de tratamento de um paciente idoso com delirium, muitas vezes é necessária a realização de sedação. Obedecendo aos critérios de medicamento de alta potência e pouca interferência em parâmetros vitais, a melhor escolha é feita com:
Mulher, 28 anos de idade, solteira, G1P0A1, referiu dor intensa em hipogástrio, com irradiação para região lombar bilateral. A dor iniciou há 3 dias e piorou nas últimas 12 horas, quando apresentou febre de 39,5°C. Nega vômitos e a última evacuação foi há 36 horas. Ao exame, apresentava-se gemente, em posição antálgica e, à palpação do abdome, sinais de peritonismo, principalmente em fossa ilíaca direita. Ao toque vaginal, mostrava dor intensa à mobilização do colo uterino, não sendo possível palpar anexos. Hemograma com 21.000 leucócitos/ml e desvio à esquerda. Ultrassonografia revelou massa anexial à direita de 5 cm de diâmetro sugestiva de abscesso no tubo ovariano. Qual a primeira conduta a ser tomada?
Compartilhar