Questões na prática

Clínica Médica

Pediatria

Reumatologia

Doenças Respiratórias

Fábio, 12 anos de idade, foi atendido na Unidade Básica de Saúde há 15 dias com infecção de vias aéreas superiores (IVAS). Retorna hoje sem sintomas de IVAS, com queixa de febre leve, mal-estar e dor articular em tornozelos, joelhos e punhos, que pioram com movimentação ativa e passiva. Exames complementares mostraram leucocitose, Proteína C reativa e VHS aumentados. Aponte o diagnóstico de Fábio.

A
Febre reumática.
B
Imunodeficiência.
C
Artrite séptica.
D
Doença de Still.
E
Doença linfoproliferativa.
A causa mais comum de sangramento baixo em crianças é:
O método de escolha para diagnóstico de qualquer cardiopatia congênita no recém-nascido:
Lactente com 8 meses é levado a unidade básica de saúde para atualização de seu cartão vacinal e fazer uma consulta. Período gestacional sem intercorrências, sorologias materna normais. Nasceu prematuro de 28 semanas e evoluiu com cianose e dificuldade respiratória. Foi intubado em sala de parto e transferido para a UTI neonatal. Feito diagnóstico de membrana hialina, recebeu surfactante e permaneceu em ventilação mecânica por um mês. Ainda recebeu diagnóstico de cardiopatia congênita e passou por correção cirúrgica aos três meses. Apresentou várias complicações infecciosas no pós-operatório, permanecendo internado até a idade de sete meses. Não recebeu nenhuma vacina durante o período de internação e nem após alta hospitalar, exceto a primeira dose de hepatite B e BCG. Ao exame físico não apresenta cicatriz vacinal. Considerando o caso apresentado, é CORRETO afirmar que:
Assinale a alternativa CORRETA. Para triagem de cardiopatia congênita grave, deve-se realizar a aferição da oximetria de pulso (“Teste do Coraçãozinho”) em todo recém-nascido, aparentemente saudável, com idade gestacional > 34 semanas, entre 24 e 48 horas de vida, antes da alta da Unidade Neonatal. Considera-se resultado normal:
Compartilhar