Questões na prática

Pediatria

Neonatologia

Neuropediatria

Doenças Respiratórias

Gestante com 29 semanas de idade gestacional foi admitida em trabalho de parto expulsivo e história de perda de líquido por via vaginal há 2 dias. O recém-nascido nasceu hipotônico, com respiração irregular, frequência cardíaca de 80 bpm e cianótico. Apresentou boa resposta à ventilação com pressão positiva utilizando-se balão autoinflável e máscara. O peso de nascimento foi de 1180 gramas e os escores de Apgar de 1º e 5º minuto foram, respectivamente, 3 e 8. Encaminhado para UTI neonatal, o recém-nascido evoluiu na primeira hora de vida com esforço respiratório caracterizado por taquipneia (frequência respiratória = 80 ipm), batimento de aleta nasal, gemido expiratório, tiragem inter e subcostal e retração esternal moderadas, além de aumento progressivo da necessidade de oxigênio para manter-se acianótico. Em relação ao caso apresentado, considere as afirmações abaixo: 1. A síndrome de desconforto respiratório (doença de membrana hialina) deve ser considerada entre os diagnósticos diferenciais, por se tratar de um prematuro de muito baixo peso cuja mãe não recebeu corticoide antenatal; 2. O diagnóstico mais provável é o de taquipneia transitória do recém-nascido, por ocorrer com maior frequência em recém-nascidos com asfixia perinatal; 3. A pneumonia congênita é um diagnóstico que pode ser facilmente afastado ou confirmado após a realização da radiografia de tórax; 4. Além do suporte respiratório, está indicada a coleta de hemoculturas e o início imediato de antibiótico de amplo espectro; 5. A administração de surfactante exógeno só deve ser considerada após 2 horas de vida, se houver falha do suporte respiratório. Assinale a alternativa correta.

A
Somente as afirmativas 1, 3 e 4 são verdadeiras
B
Somente as afirmativas 2, 3 e 5 são verdadeiras
C
Somente as afirmativas 1 e 4 são verdadeiras
D
Somente as afirmativas 1 e 5 são verdadeiras
E
Somente as afirmativas 2 e 5 são verdadeiras
Pacientes que apresentam claudicação intermitente têm os seguintes sintomas, com exceção de:
Dor + Delirium. Mulher de 69 anos, está internada há três dias para tratamento de úlcera sacral infectada. É acamada há dois anos, após internação prolongada em UTI para tratamento de pneumonia. Está em uso de Ciprofloxacino 750mg via oral de 12/12h e Metronidazol 500mg via oral de 8/8h, insulina NPH 42 UI/dia, insulina regular 18 UI/dia, ranitidina 150mg via oral de 8/8h, paracetamol 1000mg via oral de 6/6h e codeína 30mg via oral de 4/4h. Nesta manhã foi submetida a desbridamento mecânico da úlcera pela equipe da enfermagem, com remoção completa do material necrótico. Segundo relato da enfermagem, não há exposição óssea. Exame laboratoriais da rotina: Hemograma: Hb= 9,3g/dL; leucócitos= 22800/mm3 (segmentados=18400/mm3, linfócitos= 1800/mm3); plaquetas= 455.000/mm3. RNI= 1,2. Ureia=107 mg/dL. Creatinina= 2,3mg/dL. K=4,7 mEq/L. Na= 156 mEq/L. Você é chamado no início do seu plantão noturno pois a paciente queixa-se de muita dor no local da úlcera sacral, mesmo após a medicação prescrita de horário. A conduta é:
Quais são as hipóteses diagnósticas de um Recém-nascido com incapacidade de eliminar mecônio nas primeiras 24 horas de vida?
Na síndrome da revascularização, após desobstrução arterial aguda no membro inferior, o paciente
Compartilhar