Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Gestante de 24 anos, com 32 semanas de gestação é trazida a emergência pelo CBERJ com relato de desmaio e crise nervosa em via pública. Ao exame apresenta-se torporosa, pupilas isocóricas e fotorreagentes. Sem sinais de irritação meníngea. PA: 180x120 mmHg, fundo uterino de 32 cm, metrossístoles ausentes, tônus uterino normal, movimento fetal presente, BCF 137 sem desacelerações. Toque colo fechado. Feito cardiotocografia com laudo de feto ativo. A melhor conduta neste caso é:

A
sulfato de magnésio, monitorização fetal e compensação clínica da gestante.
B
hidralazina venosa e realizar cesariana.
C
sulfato de magnésio e realizar cesariana.
D
diazepan venoso e monitorizar feto.
E
sulfato de magnésio, hidralazina e cesariana.
Mulher, 65 anos, com dor em fossa ilíaca esquerda há 2 dias. Ao exame, em bom estado geral, hidratada, PA 140x90mmHg, pulso 110, temperatura 38 ºC, abdome discretamente distendido com dor intensa à palpação da fossa ilíaca esquerda, sem irritação peritoneal. Assinale a alternativa que apresenta o exame para diagnóstico e o tratamento inicial, respectivamente:
Qual dos micro-organismos abaixo é o mais frequente como causa de meningite neonatal precoce?
Qual das cardiopatias congênitas abaixo se caracteriza por hipofluxo pulmonar?
Um homem de 64 anos comparece a Unidade de Saúde da Família queixando-se de dificuldade para enxergar para longe. Ao exame, apresenta acuidade visual para longe de 0.2 em ambos os olhos, em uma tabela de escala decimal que vai de 0.1 a 1.0 (sendo 1.0 a melhor visão que pode ser medida na tabela). Ao repetir o exame com o uso de um orifício estenopeico, o paciente apresentou acuidade visual de 0.8 em ambos os olhos. Diante deste caso, a causa mais provável de deficiência visual é:
Compartilhar