Questões na prática

Clínica Médica

Ginecologia e Obstetrícia

Neurologia

Obstetrícia

Reumatologia

Gestante de 30 anos, com história de abortamentos de repetição e diagnóstico de crescimento intrauterino restrito na gestação atual, foi internada com quadro de acidente vascular cerebral isquêmico transitório e plaquetopenia. À investigação, identificaram-se vegetações não bacterianas em valva cardíaca. Qual o diagnóstico mais provável?

A
Febre reumática
B
Síndrome paraneoplásica
C
Síndrome antifosfolipídica
D
Síndrome hipereosinofílica
E
Púrpura trombocitopênica trombótica
Recém-nascido com 2 semanas de vida, apresenta-se no consultório de pediatria com insuficiência cardíaca grave, sem sopro. Dentre os dados importantes para o diagnóstico de possível cardiopatia congênita, destaca-se:
Durante o período gestacional, a condição materna que predispõe mais o feto a cardiopatias congênitas é:
Criança, 6 anos, amanheceu chorando, com forte dor no quadril e na parte anterior da coxa à esquerda. Chega para o atendimento médico claudicando. Não apresenta febre ou postura antálgica, mas discreta coriza remanescente de um resfriado iniciado há 10 dias. A radiografia de quadril está normal e a ultrassonografia mostra derrame coxofemoral. VHS é de 13 mm. Neste caso, o melhor tratamento é:
Mãe ansiosa leva seu filho menor, lactente de 10 meses, ao posto de saúde próximo à sua residência para avaliação pediátrica, pois acha que o mesmo não está se desenvolvendo como o filho da vizinha que tem a mesma idade. Baseando-se nos marcos do desenvolvimento neuro-psicomotor adequado, qual dos dados abaixo justificaria a preocupação desta mãe?
Compartilhar