Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Gestante de 37 anos, com 33 semanas de gestação, queixa-se de parada de movimentação fetal há 1 dia. Refere não ter nenhuma intercorrência no pré-natal. É sua segunda gestação, tendo um parto normal há 3 anos, com recém-nascido saudável que pesou 3.300g. A pressão arterial é de 100x60cm H2O. A altura uterina é de 29cm, não há dinâmica uterina. Não se auscultam batimentos cardíacos fetais e o colo está impérvio. A ultrassonografia revela ausência de batimentos cardíacos fetais, apresentação pélvica, placenta grau II e líquido amniótico de volume normal. Qual a conduta a ser tomada?

A
Aguardar evolução para parto normal, com consentimento do casal, por no máximo 1 semana, devido ao risco de fenômenos tromboembólicos após esse tempo.
B
Orientar o casal, solicitar exames de coagulação e aguardar a evolução natural do parto por até 4 semanas.
C
Indicar conduta ativa pelo avançado da idade gestacional, com internação hospitalar e indução do parto.
D
Indicar parto cesárea pelo avançado da idade gestacional, com internação hospitalar e indução do parto.
E
Indicar parto cesárea logo após o diagnóstico pelo risco de coagulação intravascular disseminada decorrente de toxinas liberadas com o óbito fetal.
Uma jovem de 22 anos realiza em seu consultório, pela primeira vez, a citologia oncótica de Papanicolaou. Ela tem vida sexual ativa há 5 anos e relata 3 parceiros sexuais nesse período. O exame ginecológico é normal, entretanto o resultado da citologia revela a presença de lesão intraepitelial escamosa de alto grau, identificada como NIC II, sem a presença de células endocervicais no esfregaço. A conduta mais apropriada para o seguimento dessa paciente é:
Escolar de 8 anos de idade é levado ao pronto-socorro com queixa de 24 horas de febre, cefaleia e vômitos. Ao exame físico observa-se sonolência e presença de rigidez de nuca. Liquor evidenciando 380 leucócitos, com 70% de polimorfonucleares, glicose de 22 mg/dl e proteínas de 65 mg/dl. Quais os agentes etiológicos prováveis para o caso?
Criança de 4 anos é trazida para atendimento por ser contato de adulto tuberculoso. Seu avô de 65 anos, que reside no mesmo domicílio que o menor está com tuberculose pulmonar bacilífera, em tratamento com esquema I do Ministério da Saúde há dois meses. A criança apresenta-se assintomática, com raio X de tórax normal e Prova Tuberculínica (PPD) de 13 mm. Qual a conduta mais adequada a ser tomada com essa criança?
Em relação à síndrome de West (espasmo infantil), considere as seguintes afirmativas: 1. Usualmente se inicia entre os 4 e 8 anos. 2. O eletroencefalograma mostra hipoarritmia. 3. As crises podem ser controladas com corticosteroides (ACTH). 4. O tratamento precoce controla as crises em mais de 90% dos casos. Assinale a alternativa correta.
Compartilhar