Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Gestante de 37 anos, com 33 semanas de gestação, queixa-se de parada de movimentação fetal há 1 dia. Refere não ter nenhuma intercorrência no pré-natal. É sua segunda gestação, tendo um parto normal há 3 anos, com recém-nascido saudável que pesou 3.300g. A pressão arterial é de 100x60cm H2O. A altura uterina é de 29cm, não há dinâmica uterina. Não se auscultam batimentos cardíacos fetais e o colo está impérvio. A ultrassonografia revela ausência de batimentos cardíacos fetais, apresentação pélvica, placenta grau II e líquido amniótico de volume normal. Qual a conduta a ser tomada?

A
Aguardar evolução para parto normal, com consentimento do casal, por no máximo 1 semana, devido ao risco de fenômenos tromboembólicos após esse tempo.
B
Orientar o casal, solicitar exames de coagulação e aguardar a evolução natural do parto por até 4 semanas.
C
Indicar conduta ativa pelo avançado da idade gestacional, com internação hospitalar e indução do parto.
D
Indicar parto cesárea pelo avançado da idade gestacional, com internação hospitalar e indução do parto.
E
Indicar parto cesárea logo após o diagnóstico pelo risco de coagulação intravascular disseminada decorrente de toxinas liberadas com o óbito fetal.
Paciente de 60 anos HAS há 10 anos, em tratamento regular com Propranolol 80mg/dia e Hidroclorotiazida 25mg/dia. Não é diabética e os outros fatores de risco para doença cardiovascular estão controlados. Seu exame físico é normal, sua FC é de 96 bat/min e vem consistentemente apresentando medidas de PA em torno de 160/100 mmHg, a melhor conduta em relação aos seus medicamentos é:
Em relação à Esclerodermia, assinale a opção correta:
Qual marcador se encontra alterado na Cirrose Biliar primária?
Assinale a condição que contraindica a vacinação.
Compartilhar