Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Gestante de 6 semanas realizou exames de rotina pré-natal, sendo detectado na sorologia para toxoplasmose quadro laboratorial compatível com infecção aguda. A melhor conduta será:

A
como o risco de transmissão fetal é pequeno no 1º trimestre e o potencial de risco dos medicamentos é alto, o tratamento deverá ser iniciado no 2º trimestre.
B
início imediato da espiramicina e manutenção durante toda a gestação.
C
início imediato da espiramicina; realizar amniocentese em torno de 20 semans e na presença de infecção fetal mudar o tratamento para sulfadiazina + pirimetamina + ácido folínico, intercalando a cada 3 - 4 semanas com espiramicina durante todo o restante da gestação.
D
iniciar o tratamento com pirimetamina + sulfadiazina + ácido folínico, devido à eficácia superior à espiramicina, e mantê-lo durante toda a gravidez.
E
paciente deverá fazer uso somente de sintomático.
Adolescente, 11 anos, apresenta dor no joelho E. há 1 ano, onde há aumento de volume e dor à palpação da tuberosidade anterior da tíbia E; sem outros sinais ou sintomas. Pratica futebol 4 vezes por semana. Bom estado geral, IMC entre o percentil 85–95 para a idade. Qual o diagnóstico mais provável?
Em relação à hérnia de PETERSEN, podemos afirmar que:
Paciente de 43 anos, apresentando vários episódios de hipoacusia flutuante e tinnitus em orelha direita, associado com tonturas rotatórias acompanhada de náuseas, vômitos e sudorese, além da sensação de plenitude aural. Sintomas intermitentes com períodos de melhora. Sendo assim, o paciente apresenta a tríade clássica de Síndrome de Ménière. Nesta doença:
Paciente portador de doença hemorroidária interna (Grau IV), a melhor opção terapêutica é:
Compartilhar