Questões na prática

Clínica Médica

Pneumologia

Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). O exame adequado para confirmar TVP é:

A
ecodoppler venoso
B
dosagem de D-dímero
C
valor sérico de fibrinogênio
D
venografia
Com relação ao crescimento linear (estatura), pode-se dizer que a altura final do indivíduo é o resultado da interação entre carga genética e:
Uma criança de 10 anos de idade é atendida com história de febre, cefaleia, dor retro-orbitária e mialgia há três dias. Há 24 horas, iniciou dor abdominal contínua. Não há manifestações hemorrágicas espontâneas. O exame físico revela hepatomegalia dolorosa, pressão arterial de 100X60mmHg. A prova do laço é positiva, e o hematócrito é de 43%. Segundo as orientações do Ministério da Saúde quanto ao Diagnóstico e Manejo Clínico da Dengue, a conduta terapêutica inicial que deve ser adotada é:
Recém-nascido de 28 dias de vida, aleitado exclusivamente ao seio materno iniciou icterícia com aumento de bilirrubina direta e fezes hipocólicas. Os exames complementares revelaram alterações ocular (embriotoxo posterior), estenose pulmonar periférica e defeitos de arco vertebrais (vértebras em borboleta). A biópsia hepática mostrou escassez de ductos biliares intra-hepáticos. O diagnóstico é:
Neonato saudável, 17 dias de vida, inicia quadro de vômitos em jato, sem bile, evoluindo com perda ponderal acentuada e desidratação. Chegando à Emergência recebeu hidratação venosa de expansão para correção da desidratação. Considerando a hipótese diagnóstica mais provável, a avaliação dos eletrólitos e gases sanguíneos mostraram:
Compartilhar