Questões na prática

Ginecologia e Obstetrícia

Obstetrícia

Heloísa, 24 anos, gesta III, para 0, aborto II (duas perdas fetais no 2º trimestre), atualmente na 34ª semana de gestação, procura a emergência com cólica, dores em membros inferiores e perda líquida há duas horas, sem sangramento. No exame obstétrico inicial, observa-se líquido amniótico claro e sem grumos saindo pela vagina. Nos membros inferiores nota-se trombose venosa profunda (TVP). Heloísa está agora com 6 cm de dilatação, colo 100% apagado,apresentação em plano“0” de De Lee, líquido de tinto de mecônio. BCF de 110 bpm e cardiotocografia não reativa. A conduta neste momento é:

A
realizar cesariana segmentar
B
colocar em decúbito lateral esquerdo, administrar oxigênio e suspender ocitócicos
C
acelerar o parto com posterior aplicação de fórcipe de alívio
D
corrigir a hipotensão e a hipoglicemia
Marcela tem 3 dias de vida, nasceu de parto normal, a termo. Sua genitora adquiriu varicela 5 dias antes do parto. Qual a conduta a ser tomada em relação à Marcela?
Um paciente de 42 anos, recentemente internado num leito de UTI, tem diagnóstico sindrômico de choque. Há poucos minutos foi colocado nesse paciente um cateter de Swan-Ganz, que permite medidas invasivas para acessar o tipo de choque corretamente. As medidas observadas permitem perceber as seguintes anormalidades: pressão capilar pulmonar ocluída reduzida, débito cardíaco reduzido e resistência vascular sistêmica aumentada. Com base nesses achados, esse paciente apresenta que tipo de choque?
J.M.C, criança do sexo feminino, com 2 meses de idade, é levada, pela mãe, à Unidade de Saúde da Família, para se vacinar. Há registro de que já havia tomado, ao nascer, a dose única de BCG-ID e a 1ª e 2ª doses de vacina contra hepatite B. Segundo o Calendário de Vacinação da Criança, do Ministério da Saúde, não havendo contraindicação, ela deve, além das primeiras doses da Tetravalente (DPT + Hib) e VOP (contra pólio), receber na ocasião também a:
Pré-escolar de 3 anos encontra-se em crise de asma e foi levada para a Emergência, pela segunda vez nos últimos 30 dias. O quadro iniciou-se 48 horas após resfriado. Neste momento, o exame físico mostra: estado geral decaído, olhos encovados, irritabilidade alternada com sonolência, dispneia moderada a grave, com retrações subcostais; FC: 140bpm; MV pouco audível com roncos e sibilos difusos FR: 52irpm. Fez uso de inúmeras nebulizações com salbutamol e foi administrada uma dose de esteroide oral. Foi indicado o internamento, pois a saturometria persiste em 89%, e assim procedeu-se hidratação venosa e solicitou-se avaliação de glicemia e de eletrólitos séricos. Qual o distúrbio metabólico que pode ocorrer com maior probabilidade neste paciente?
Compartilhar